24º Batalhão de Infantaria de Selva – “Batalhão Barão de Caxias” comemora os seus 150 anos de criação

24º Batalhão de Infantaria de Selva – “Batalhão Barão de Caxias” comemora os seus 150 anos de criação

No dia 31 agosto, o 24° Batalhão de Infantaria de Selva (24° BIS) – “Batalhão Barão de Caxias”, tradicional Organização Militar (OM) do Exército Brasileiro, comemorou seu sesquicentenário. Sua origem remonta ao ano de 1870, com a instalação do 5° Batalhão de Infantaria Pesada no centro da capital ludovicense, onde hoje se localiza a praça do Pantheon, a Biblioteca Pública Benedito Leite e o SESC. Suas atuais instalações, no tradicional bairro do João Paulo, foram ocupadas em 19 de abril 1941.

Em 1997, foi estabelecida sua denominação histórica “Batalhão Barão de Caxias”, homenageando o patrono do Exército Brasileiro, sendo esse seu primeiro título pela campanha vitoriosa na Revolta da Balaiada, ocorrida em terras maranhenses. A OM recebeu sua atual denominação em 21 de agosto de 2017, por intermédio da Portaria n° 1.059, do Comandante do Exército, que o transformou em 24° Batalhão de Infantaria de Selva, consolidando a vocação operacional da unidade para o emprego em ambiente amazônico. Em 24 de outubro de 2017, passou a compor a 22ª Brigada de Infantaria de Selva e, como OM integrante da “Brigada Foz do Amazonas”, potencializou sua capacidade operacional e reforçou a presença do Exército Brasileiro na Amazônia Oriental, importante área estratégica para o Brasil.

Ao longo de seus 150 anos, o 24º BIS teve participação destacada em diversos momentos históricos, entre os quais estão: o combate à Coluna Prestes, em 1925; o combate à Revolução de 1930, na Paraíba; combate à Revolução de 1932, em São Paulo (SP); o combate à Intentona Comunista, em Belém (PA), em 1935; o envio de 169 militares para compor a Força Expedicionária Brasileira (FEB), em 1944; a mobilização de uma Companhia de Fuzileiros para atuar em Xambioá (PA), em 1972; e o emprego de Pelotões de Fuzileiros na Missão das Nações Unidas para a Estabilização no Haiti (MINUSTAH), em 2008, 2010, 2012 e 2013. Ressalta-se, também, o envio, em 24 de junho de 1973, de 60 militares para a cidade de Imperatriz (MA), que deram origem ao 50º Batalhão de Infantaria de Selva.

Para cumprir suas missões, o 24° BIS conta com 3 subunidades: a Companhia de Comando e Apoio, responsável pelo apoio logístico ao combate, a 1ª Companhia de Fuzileiros de Selva, subunidade operacional, e a 2ª Companhia de Fuzileiros de Selva, responsável pela preparação do Soldado da reserva mobilizável. Além disso, possui um Núcleo de Preparação de Oficiais da Reserva, uma banda de música e um posto médico de guarnição para o apoio à família militar. Com a desativação da 27ª Circunscrição do Serviço Militar em 2017, o “Batalhão Barão de Caxias” absorveu suas missões, sendo estabelecida em sua estrutura uma Base Administrativa de Encargos Regionais, que gerencia, no estado do Maranhão, as atividades relativas ao serviço militar e presta assistência aos inativos e pensionistas.

Essa organização garante ao 24º BIS as condições necessárias para estender à sociedade o Braço Forte e a Mão Amiga do Exército Brasileiro no cumprimento de suas atuais missões: Operação Cabo Orange, Operação de Garantia da Votação e Apuração das Eleições, Operação Verde Brasil I e II, Operação Pedro Teixeira, Operação Apollo Resk e Operação COVID-19. Proporciona, ainda, a devida estrutura para a realização de exercícios no terreno, como o Estágio de Adaptação à Vida na Selva (EAVS) e o Estágio Básico do Combatente de Selva (EBCS), fundamentais para a capacitação dos integrantes das unidades de selva do Exército Brasileiro.

Para a divulgação institucional da Força Terrestre, o 24º BIS conta com o programa de rádio Informativo Militar, conduzido pela equipe de comunicação social da OM, que vai ao ar na Rádio Jovem Pan AM, todos os sábados, das 7h às 8h. Conta, também, com um horário disponibilizado pela TV São Luís, aos domingos, às 7h, quando é transmitido o programa Força Brasil.

O 24° Batalhão de Infantaria de Selva tem demonstrado, ao longo de seus 150 anos de história, elevada capacidade operacional e espírito de cumprimento de missão nas ações de combate ou subsidiárias, honrando as tradições de Caxias, patrono do Exército Brasileiro, e cultuando a mística dos melhores guerreiros de selva.

(CCOMSEX/FM)

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *