50º aniversário da missão pacificadora na República Dominicana

No dia 27 de maio, rememoramos a chegada das tropas brasileiras em solo dominicano com a difícil tarefa de restabelecer a ordem legal naquelas terras caribenhas.  A República Dominicana encontrava-se em situação caótica, em que lutas entre facções políticas e militares tornavam-se cada vez mais ameaçadoras para a soberania do país, dividindo-o em áreas de domínio próprio. Em Assembleia Geral, a Organização dos Estados Americanos (OEA) decidiu criar uma Força Interamericana de Paz (FIP) para restabelecer a ordem naquela república, restaurar a paz e criar condições favoráveis à realização de eleições livres e ao estabelecimento do regime democrático naquelas terras.

50 ANOSA FIP foi composta por militares do Brasil, de Costa Rica, dos Estados Unidos da América, de Honduras, da Nicarágua e do Paraguai. Por dezesseis meses, constituímos a Força Armada Interamericana do Brasil, comumente reconhecida como o FAIBRAS1. A Marinha de Guerra e a Força Aérea brasileiras envidaram esforços para atender a todas as demandas logísticas de nossa tropa que, com os revezamentos de contingente, chegou ao expressivo efetivo de três mil homens do Exército Brasileiro e do Corpo de Fuzileiros Navais, desdobrados no terreno a uma distância aproximada de cinco mil quilômetros de nosso País. Inúmeras foram as dificuldades enfrentadas por nossa gente, soldados recém-incorporados, dotados de armamentos novos e de instruções preliminares. Em um contexto de intensos conflitos travados pelo FAIBRAS, o valor do Soldado Brasileiro foi naturalmente se revelando e três missões assumiram especial relevo: a desmilitarização do Palácio Nacional, o isolamento de Ciudad Nueva e a posterior ocupação desse local. Os desafios operacionais do maior contingente, dentre todos os enviados por países latino-americanos, incitaram a posterior evolução doutrinária de nossas Forças, especialmente em operações urbanas de defesa interna, em patrulhas e em contraguerrilhas.

Há de se destacar que nossa participação nessa Missão de Paz se deu antes do retorno do Batalhão Suez ao Brasil, após 10 anos de atuação na Força de Emergência das Nações Unidas, o que ratifica o reconhecimento de órgãos internacionais acerca do elevado profissionalismo, do senso de responsabilidade e do comprometimento dos militares brasileiros no fiel cumprimento de suas missões. Mercê da credibilidade atribuída às nossas Forças Armadas, o comando da FIP foi exercido, sucessivamente, por oficiais-generais brasileiros.

Hoje, ao comemorarmos o cinquentenário de atuação das tropas brasileiras em prol da pacificação da República Dominicana, sob a égide da OEA, reforçamos a prontidão de nossas Forças Armadas em prestar relevantes contribuições para o estabelecimento de missões de paz por parte de organismos supranacionais. Missões dessa natureza respaldam o contínuo aprimoramento de nossas Forças e dão provas inequívocas das virtudes inerentes ao Soldado Brasileiro, como retidão de caráter, coragem e respeito ao ser humano. Parabéns a esses Soldados da Paz que, com suas atuações, enchem de orgulho o cidadão brasileiro.

(CCOMSEX/ FM)

Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>