Warning: mysqli_set_charset(): Error executing query in /var/www/html/folhamilitaronline.com.br/web/wp-includes/wp-db.php on line 792

Antártica é tema de seminário em Brasília

Escola Superior de Guerra (ESG) em parceria com a Comissão Interministerial para os Recursos do Mar (SeCIRM) e a Universidade de Brasília (UnB) promoveu, na quinta-feira (16), no Auditório da Presidência da República, em Brasília, o “Seminário Antártica 2048”. O evento teve como propósito destacar o Pioneirismo do Brasil na Antártica e a perspectiva para os próximos 30 anos de pesquisa na região conhecida pelas temperaturas mais baixas do planeta. Autoridades civis e militares prestigiaram o seminário que teve a mesa de honra composta pelo chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA), almirante Ademir Sobrinho; o chefe do Estado-Maior da Armada (EMA), almirante Ilques Barbosa Junior; o comandante da Escola Superior de Guerra (ESG), general Décio Luis Schons; e a reitora da Universidade de Brasília (UnB), Márcia Abrahão.

Para o almirante Ademir, o mais importante na realização do seminário é a divulgação da relevância da Antártica e das pesquisas lá realizadas, não só para a comunidade científica, mas para a sociedade de um modo geral. Sobre a inauguração da nova estação científica, programada para março de 2019, disse que é um desafio vencido, pois possibilitará a ampliação da capacidade de pesquisa. Mas, ressaltou que “não podemos esquecer que vão aumentar as necessidades logísticas para suportar a nova estação”.

Reitora da UnB enalteceu a importância do tema para a ciênciaReitora da UnB enalteceu a importância do tema para a ciência

A reitora da UnB, Márcia Abrahão, disse que a participação da universidade no evento mostra a importância da ciência e que é relevante a parceria com as Forças Armadas, por intermédio da Marinha do Brasil, pois, neste contexto, torna a ciência brasileira protagonista no desenvolvimento do país, particularmente, na Antártica. Destacou ainda que a UnB tem produzido trabalhos na área da ciência biológica destacando a genética e a biologia vegetal.

Cleber Ribeiro/MD

 

O seminário iniciou com palestras dos militares que participaram das primeiras expedições, demonstrando o Pioneirismo na Antártica, como o almirante José Henrique Salvi Elkfury  que participou da expedição Antártica I e comandou a Estação Comandante Ferraz (ECF). O almirante disse que fazer parte daquela expedição foi um grande desafio. “Foi um crescimento muito grande em todos os aspectos, seja pessoal, profissional e espiritual”. Disse ainda, que se sente orgulhoso de fazer parte de um programa de interesse nacional. “É uma satisfação ver o crescimento do programa”.

“Há a necessidade da manutenção de princípios fundamentais, como parceria, humildade e a preocupação com o meio ambiente, para que cheguemos em 2048 como protagonista desta história”, alertou o almirante Elkfury.

O comandante da ESG – campus Brasília, general Wilson Mendes Lauria, explicou que a causa antártica começou sendo defendida por um grupo de intelectuais da ESG, tendo a sua frente a professora Therezinha de Castro, que com seus trabalhos conseguiu mostrar para o Brasil a importância do continente gelado para a nossa geopolítica.

“O tema antártico é um tema tradicional para a Escola Superior de Guerra”, destacou o general Lauria.

Faltando 30 anos é o momento de reavivarmos o debate. Não podemos deixar que daqui a 30,50 anos, a geração de brasileiros que estiver naquele momento não tenha voz nesta importante questão internacional, por que nós deixamos de fazer algo hoje. É uma grande satisfação ver o auditório extremamente plural, com civis e militares discutindo juntos, pois este foi o sentimento que motivou a criação da ESG há 69 anos atrás. Um espaço democrático onde as elites pudessem se reunir para tratar de assuntos de relevância nacional”, considerou o general Lauria.

Na sequência, o almirante Sérgio Gago Guida (SeCIRM) e o primeiro secretário Renato Barros de Aguiar Leonardi (MRE), apresentaram a palestra “Brasil na Antártica, os próximos 30 anos”.

Como ex-aluno da ESG, o titular da SeCIRM, almirante Sérgio Gago Guida, falou da satisfação de desenvolver um trabalho junto com a ESG, que foi o berço do desenvolvimento do interesse antártico brasileiro com a professora Therezinha de Castro. Concluiu dizendo que este seminário já pode ser considerado um marco entre a academia e a Marinha do Brasil.

Evento reuniu diversos segmentos ligados à Antártica

À tarde, o seminário apresentou três painéis temáticos sobre ciência, setor público e expansão da pesquisa. O professor da UnB, Paulo Câmara, referência nacional no assunto ao lado do glaciólogo (estudioso de geleiras), Jefferson Simões (UFRGS), falou sobre a participação do Brasil no Tratado da Antártida. Documento assinado em 1959 que reconhece o interesse de toda a humanidade para que a Antártida seja utilizada, exclusivamente, para fins pacíficos e de pesquisa.

E em seguida, o Papel do setor público foi apresentado por Álvaro Prata (MCTIC), André Martins (USP) e Sandro Bevilaqua Rangel (MMA); e “Formas de expandir a esfera de influência do Brasil na Antártica” pelo representante da Academia Paulo Eduardo Câmara e pelo Representante da Marinha comandante Leonardo Mattos (EGN), que convidou todos a difundir a mentalidade Antártica no seio da sociedade por meio de ações nos seus respectivos segmentos.

O subcomandante da Escola Superior de Guerra, almirante Carlos Frederico Carneiro Primo, encerrou o seminário destacando a parceria entre a Marinha, a Escola Superior de Guerra, a Universidade de Brasília, e os convidados. Falou ainda, da esperança de reforçar o assunto, não apenas no meio de participantes do evento, mas junto as localidades mais distantes e em todos os segmentos da sociedade, para que no futuro “possamos proporcionar uma melhor condição de vida para os brasileiros e para toda a humanidade”.

Prestigiaram o evento representantes da Presidência da República; da UnB; do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC); do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República (GSI); do Ministério das Relações Exteriores (MRE), e do Ministério da Defesa (MD.

A programação completa do evento pode ser consultada no link: https://antartica2048.blogspot.com/
Por Comandante Cleber Ribeiro

Fotos: Laice Machado/Cleber Ribeiro

(MD ASCOM/FM)

Share

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *