Apoio brasileiro a desminagem na Colômbia completa seis anos

Apoio brasileiro a desminagem na Colômbia completa seis anos

O Grupo de Assessores Técnicos Interamericanos na Colômbia (GATI-CO) completa, nesta terça-feira (15), seis anos de missões de capacitação e assessoramento a integrantes das Forças Militares colombianas. Os militares brasileiros têm papel importante desde o início do GATI-CO, em junho de 2015, oferecendo subsídios necessários à capacitação das forças colombianas para a desminagem de explosivos, que ainda causam vítimas ao povo colombiano nas regiões de fronteira.

Criado a partir do Acordo de Cooperação e Assistência Técnica entre o Comando Geral das Forças Militares (CGFM) da Colômbia e a Junta Interamericana de Defesa (JID), o GATI-CO atua em duas frentes. A primeira é responsável por capacitar e certificar militares, de acordo com as exigências da Organização dos Estados Americanos (OEA). Já a segunda oferece subsídios técnicos para a desminagem humanitária. Ambas agregam as informações, com a máxima proximidade de situações reais, para execução do trabalho.

Foto 1.jpg

Os atuais integrantes brasileiros do GATI-CO, o Major de Engenharia do Exército Cláudio Santos Bispo e o Capitão-Tenente (FN) da Marinha Gustavo Lopes da Silva Freitas, dedicam-se em aperfeiçoar e incluir novas atividades ao Curso de Monitores Nacionais de Desminagem Humanitária (CMNDH). Além disso, participam de grupos da Inspeção Geral das Forças Militares (IGFM), que oferecem estudos e análises para a implantação das Normas Técnicas Colombianas, a serem exigidas na gestão de qualidade das operações de desminagem no país sul-americano.

“Até hoje, foram certificados cerca de 181 militares colombianos para a função de Monitor Nacional de Desminagem Humanitária. Cada operação brasileira conta com um engenheiro do Exército e outro da Marinha, para diminuir o número de vítimas inocentes na Colômbia”, explica o Major Bispo.

Por Karenina Moss, com informações do GATI-CO

Fotos: divulgação GATI-CO

(MD ASCOM/FM)

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *