Atletas militares conquistam mais de mil medalhas em 2018

O Departamento de Desporto Militar do Ministério da Defesa conclui 2018 com o balanço positivo de vitórias inéditas, quebra de recorde e a impressionante marca de 1.106 medalhas conquistadas. Foram 544 de ouro, 285 de prata e 277 de bronze, em competições nacionais civis e em mundiais militares e civis.

Entre os bons resultado, o Brasil conquistou o primeiro lugar geral no Torneio Internacional de Salvamento Aquático, do Conselho Internacional do Esporte Militar (CISM), realizado em São Petersburgo, cidade da Rússia, entre 06 e 10 de dezembro. A Delegação Militar Brasileira conquistou, ao todo, seis medalhas de ouro, oito de prata e duas de bronze. No quadro geral de medalhas, a equipe do Brasil ficou à frente da anfitriã Rússia, segunda colocada do evento, e da equipe da Alemanha, que garantiu o terceiro lugar geral da competição.

esta imagem não possui descrição

O Brasil também ficou com o primeiro lugar no quadro geral de medalhas do mundial de judô, disputado em novembro no Rio de Janeiro. O país também comemorou o ouro inédito da sargento da Marinha Rafaela Silva. A judoca foi a primeira mulher brasileira a ser campeã do mundo nessa modalidade.

esta imagem não possui descrição

O coronel da Aeronáutica Júlio Almeida também conquistou, pela primeira vez, a medalha de ouro em competição de pistola de fogo central. O atleta militar chegou ao lugar mais alto do pódio no 52ª Campeonato Mundial de Tiro Esportivo, realizado em Changwon, na Coréia do Sul, em setembro.

Outro grande destaque nesse ano foi o recorde histórico sul-americano do sargento da Aeronáutica Darlan Romani. Ele alcançou a marca de 22 metros no arremesso de peso.
Esses esportistas integram o Programa Atletas de Alto Rendimento (Paar), parceria entre os ministérios da Defesa e do Esporte.

Nas competições em grupo, destacam-se os títulos mundiais militares das equipes de futebol feminino e vela e o vice-campeonato na natação. Também as medalhas de bronze conquistadas pelas equipes masculina e feminina no pentatlo militar.

Além disso, os méritos individuais de atletas que receberam o prêmio de melhor do ano, como a judoca Mayra Aguiar e outros 12 militares homenageados com o Prêmio Brasil Olímpico 2017 em suas modalidades. No voleibol, a sargento do Exército Eduarda Lisboa ficou com o título de melhor jogadora de vôlei de praia do mundo. Ela foi um dos destaques da temporada 2018 do Circuito Mundial de Vôlei de Praia.

Os bons resultados conquistados pelo Time Militar Brasil correspondem à expectativa do MD em relação aos próximos eventos desportivos.

Para a 7ª edição dos Jogos Mundiais Militares, na China, em 2019, o DDM almeja permanecer entre as três maiores potências desportivas militares que integram o Conselho Internacional do Esporte Militar (CISM). O mundial militar na China servirá como preparatório aos Jogos Olímpicos Tóquio 2020.

 Atletas militares

O Paar tem objetivo de fortalecer a equipe militar brasileira em eventos esportivos de alto nível nacionais e estrangeiros.

O programa inclui 42 modalidades: boxe, caratê, atletismo, canoagem slalom, escalada esportiva, basquete, canoagem velocidade, esgrima, ciclismo de estrada, futebol feminino, futebol masculino, ciclismo mtb, golfe, hipismo, cross country, judô feminino, judô masculino, ginástica artística, levantamento de peso, maratonas aquáticas, handebol masculino, wrestling, natação, maratona, nado sincronizado, paraquedismo, orientação, pentatlo naval, pentatlo militar, pentatlo aeronáutico, remo, pentatlo moderno, tiro com arco, saltos ornamentais, tiro esportivo, salvamento aquático, tiro shotgun, taekwondo, triatlo, vela, vôlei e vôlei de praia.

Criado há dez anos, o programa tem como característica a inscrição voluntária e o processo de seleção dos atletas leva em conta os resultados obtidos em competições nacionais e internacionais.

Nos Jogos Rio 2016, os atletas militares ocuparam lugar de destaque, conquistando 13 das 19 medalhas obtidas pelo Time Brasil.

Próximos eventos
Com o apoio da Comissão Desportiva Militar do Brasil (CDMB), das comissões de Desportos da Marinha, do Exército e da Aeronáutica e das Forças Singulares, equipes militares brasileiras encontram-se em fase de planejamento e de preparação nos campos logísticos, administrativo e de treinamento.

A ação tem ocasionado na participação de inúmeros grupos de trabalho, visitas, reconhecimentos, análises de risco e uma série de atividades voltadas a garantir um melhor desempenho de nossa delegação.

Por Lane Barreto, com informações da CDMB

(MD ASCOM/FM)

Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>