Atletas militares já somam oito medalhas para o Brasil

Atletas militares já somam oito medalhas para o Brasil

Em 2012, militares alcançaram cinco medalhas. A expectativa da Defesa é chegar a dez

Com as conquistas de ouro  e prata dos Sargentos da Força aérea Brasileira (FAB)  Thiago Braz (salto com vara) e Arthur Zanetti (ginástica artística), respectivamente, os atletas militares somam oito medalhas nos Jogos Olímpicos Rio 2016. O desempenho superou o de Londres, há quatro anos, quando cinco das 17 medalhas trazidas para o Brasil foram resultado da performance de militares.

Atletas militares somam 1

“Quando participei da inauguração do Cism Club, em Afonsos, disse que a nossa meta era saírmos dos Jogos Olímpicos Rio 2016 com 10 medalhas para os atletas militares. Dizia também que está meta era um sonho que hoje torna-se realidade. Isso reforça ainda mais a continuidade do Programa de Atletas de Alto Rendimento e o Forças no Esporte, este último de inclusão social que atende 21 mil crianças. Esses são exemplos de programas que dão certo. E, após os Jogos aqui no Rio, todos estarão com foco nas próximas competições e cito como exemplo os 7 Jogos Mundiais Militares que acontecem em 2019, na China”, afirma o ministro da Defesa, Raul Jungmann.

Programa de Alto Rendimento

O Programa de Atletas de Alto Rendimento conta com 670 atletas militares em todas as Forças: Exército, Marinha e Aeronáutica. Destes, 76 são militares de carreira e 594 são militares que pertencem ao quadro de sargentos temporários.

Atletas militares somam 2

Na Rio 2016, dos 465 atletas do Time Brasil, 146 pertencem ao projeto, ou seja 31% desse total. A FAB tem 39 atletas olímpicos.

Em média, o programa gasta R$ 18 milhões por ano. O maior montante, mais de 80%, o equivalente a R$ 15 milhões, é investido nos atletas. Cerca de R$ 3 mi servem para custear os gastos para representar o Brasil em outros países.

Atletas militares somam 3

O ingresso no programa é público, possibilitando o ingresso de todos que apresentarem bom rendimento. “Esses jovens fazem um contrato temporário que pode chegar até oito anos, e contam com uma infraestrutura com técnicos e fisioterapeutas. Como sargento, eles podem chegar a um salário de R$ 3 mil”, esclareceu Jungmann.

 Acompanhe as conquistas na Rio 2016:  

OURO (2)

Atletismo

Salto com vara (Masculino) – Thiago Braz Da Silva (Aeronáutica)

Judô

Até 57 kg (Feminino) – Sargento Rafaela Silva (Marinha)

PRATA (2)

Ginástica Artística

Argolas (Masculino) – Sargento Arthur Zanetti (Aeronáutica)

Tiro Esportivo

Pistola de ar 10m (Masculino) – Sargento Felipe Almeida Wu (Exército)

BRONZE (4)

Ginástica Artística

Solo (Masculino) – Sargento Arthur Nory (Aeronáutica)

Judô

Acima de 100 kg (Masculino) – Rafael Silva (Marinha)

Até 78 kg (Feminino) – Sargento Mayra Aguiar (Marinha)

Natação

Maratona 10 km (Feminino) – Poliana Okimoto (Exército)

Fotos: Flavio Florido/Exemplus/COB; Wander Roberto/Exemplus/COB; Ana Patrícia/COB.

(CECOMSAER/ FM)

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *