Cerimônia marca o 145º aniversário do Pai da Aviação

O Hino dos Aviadores e as honras militares anunciaram o início das comemorações dos 145 anos do nascimento do Patrono da Aeronáutica e Pai da Aviação, Alberto Santos-Dumont. Para celebrar o dia 20 de julho, a Força Aérea Brasileira (FAB) realizou uma cerimônia militar na Ala 1, em Brasília (DF). O evento foi marcado pela imposição da Medalha Mérito Santos-Dumont e da Medalha Eduardo Gomes – Aplicação e Estudo a personalidades civis e militares, além do desfile aéreo de dois caças F-5M do Esquadrão Jaguar (1º GDA).

A solenidade foi presidida pelo Presidente da República, Michel Temer, e contou com a presença do Ministro da Defesa, Joaquim Silva e Luna, do Ministro do Gabinete de Segurança Institucional, Sergio Westphalen Etchegoyen, do Chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, Almirante de Esquadra Ademir Sobrinho, do Comandante do Exército, General Eduardo Villas Bôas, do Comandante da Marinha, Almirante de Esquadra Eduardo Bacellar Leal Ferreira, e do Comandante da Força Aérea Brasileira, Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato.

O Tenente-Brigadeiro Rossato falou da importância histórica de Santos-Dumont. “Ele foi um desses homens que transformou a imaginação do seu escritor favorito, Júlio Verne, em realidade. Exemplo de dedicação, perseverança, desprendimento, generosidade e idealismo. Santos-Dumont foi acima de tudo um sonhador e com persistência e entusiasmo transformou a história da aviação e da humanidade”, disse.

Durante a cerimônia, 38 militares da FAB foram agraciados com a Medalha Eduardo Gomes – Aplicação e Estudo. A honraria que leva o nome do Patrono da Força Aérea Brasileira é destinada a incentivar a aplicação nos estudos e na instituição e reconhecer o mérito intelectual de oficiais e praças do Comando da Aeronáutica que se distinguem nas atividades escolares.

O Tenente-Brigadeiro do Ar Lélio Viana Lôbo, Ministro da Aeronáutica entre os anos de 1995 e 1999, foi premiado por ter obtido o melhor desempenho da turma de 1951 da Academia da Força Aérea (AFA). “É uma alegria muito grande, a essa altura da vida, a gente ter a oportunidade de reviver todo o esforço, o trabalho e a luta que teve, sempre procurando fazer o melhor, ser um profissional de alto gabarito dentro da Força, um profissional realmente à altura da FAB”, comemorou.

O mesmo evento premiou 173 personalidades com a Medalha Mérito Santos-Dumont. A honraria foi criada em 1956, durante as comemorações dos 50 anos do primeiro voo do 14-Bis. É concedida a civis e militares, brasileiros ou estrangeiros, que prestam destacados serviços à Aeronáutica brasileira.

Um dos homenageados, o Suboficial de Comunicações João Alexandre Porto, do efetivo do Primeiro Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (CINDACTA I), falou da emoção de ser homenageado no 145º aniversário de Santos-Dumont. “Eu nunca sonhei em ganhar essa medalha, é algo muito grande para nós, militares. Me sinto muito orgulhoso por ter sido agraciado, porque sei que todo o serviço que eu prestei foi compensado e a FAB viu o que fiz”, disse o especialista com 30 anos de serviço na Força.

História
Alberto Santos-Dumont nasceu no dia 20 de julho de 1873, no sítio Cabangu, no Distrito de Palmira, em Barbacena (MG). Em 1905,após voar com balões e dirigíveis, começou a planejar um veículo mais pesado que o ar: o 14-Bis. Em 7 de setembro de 1906, o avião deu um primeiro salto no ar, mas faltou potência. Em 23 de outubro, com outro motor, o 14-Bis voou, decolando, mantendo-se no ar por uma distância de 60 metros, a três metros de altura e aterrisou. Era o primeiro voo homologado do mais-pesado-que-o-ar, para uma multidão de testemunhas eufóricas no campo de Bagatelle, em Paris. Santos-Dumont ainda construiu os aviões n°19 e n°20, conhecidos como Demoiselle, com grande sucesso.

FAB disponibiliza acervo de documentos no 145º aniversário de Santos-Dumont 
Para comemorar os 145 anos de nascimento de Santos-Dumont, o Centro de Documentação da Aeronáutica (CENDOC) disponibilizou online, pela primeira vez, um acervo de 3.454 unidades documentais relacionadas ao inventor. O acervo, disponível na página do CENDOC na internet, foi doado pela sobrinha-neta de Santos-Dumont, Sophia Helena Dodsworth, e fotografados um a um – pois a digitalização poderia danificar. Trata-se de fotografias inéditas, cartas e recortes de jornais da época, entre outros documentos.

Fotos: Cabo André Feitosa
(CECOMSAER/FM)
Bookmark the permalink.

One Comment

  1. Hamilton Henrique Patrocínio

    Bom dia comando geral, Eu, gostoria história do pai Santos

    View Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>