Com voo de Roraima para São Paulo, Força Aérea inicia transporte de venezuelanos

Na manhã desta quinta-feira (05/04), o Boeing 767 da Força Aérea Brasileira transportou 116 venezuelanos para São Paulo

A Força Aérea Brasileira (FAB) iniciou, nesta quinta-feira (05/04), o processo de interiorização dos imigrantes venezuelanos que ingressam no Brasil por meio da fronteira com o Estado de Roraima. A aeronave Boeing 767, do Esquadrão Corsário (2º/2º GT), realizou um voo de 4 horas entre Boa Vista, capital roraimense, e Guarulhos, região metropolitana de São Paulo. Para a sexta-feira (06/04) está previsto mais um voo; dessa vez, com destino a Cuiabá (MT) e, novamente, Guarulhos (SP).

Um dos 116 venezuelanos a bordo era Laura Malave, que viajou com a filha de onze anos. Ela diz que veio para fugir do alto preço dos alimentos. “Todo o dia o preço sobe. Não temos nada, está cada dia pior”, conta. Nos três meses em que está no País, ela afirma que trabalhou como diarista, mas que a economia de Roraima não consegue absorver toda a mão de obra. Por isso, busca novas oportunidades de emprego em São Paulo. A imigrante se emociona ao mostrar a foto de duas filhas que ficaram na Venezuela, uma de 15 e outra de 22 anos. A mais velha está prestes a se formar engenheira e é para mantê-la dedicada aos estudos que a mãe busca alternativas no Brasil.

Laura Malave e uma das filhas aguardam o voo da FAB

A Capitão Adriana Gonçalves Reis compôs a tripulação do Boeing 767. Segundo ela, a missão é gratificante porque ajuda a população necessitada. “Eu me sinto muito honrada em estar realizando mais uma missão operacional da Força Aérea Brasileira, podendo apoiar, ajudar esse povo a ser integrado ao nosso País”, diz. Além dela, em torno de 70 militares atuaram para que o voo acontecesse.

Boeing 767 da FAB decola com venezuelanos a bordo

A coordenadora do escritório da Organization International Migration (OIM), uma das agências da ONU que está presente em Boa Vista, participou do embarque. Issyssay Rodrigues explica que é uma ação fundamental para gerenciar melhor o fluxo migratório. “A participação da FAB foi muito definitiva no planejamento dessa ação. Até avaliamos as condições de deslocamento por terra, mas vivemos em um País muito grande. A maneira mais viável era por via aérea. A Força Aérea foi fundamental”, afirma.

O Coronel Eric Breviglieri, Comandante da Ala 7 – unidade da FAB em Boa Vista – explica que a interiorização dos venezuelanos com aviões da Força Aérea é uma das ações previstas na Operação Acolhida. “O Ministério da Defesa elaborou uma diretriz ministerial na qual estabeleceu as ações de cada Força Armada. Dessa forma, iniciamos o transporte dos imigrantes para as demais regiões do País e continuamos prontos para cumprir as missões atribuídas ao nosso Comando”, afirma.

Primeiro voo transportou 116 venezuelanos

A FAB também está atuando em outras duas frentes na Operação Acolhida: reforçando a equipe de médicos que trabalha no atendimento aos imigrantes e na confecção e distribuição de refeições em Boa Vista.

Ouça a reportagem da Rádio Força Aérea:

Fotos: CB André Feitosa/CECOMSAER

(CECOMSAER/FM)

Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>