Comando Militar do Sudeste condecora personalidades no Dia do Exército

Com o objetivo de cultuar os valores e as tradições do Exército Brasileiro e enaltecer a cultura cívico-patriota, o Comando Militar do Sudeste (CMSE) realizou, no dia 19 de abril, uma solenidade interna para comemorar o Dia do Exército e entregar a Medalha da Ordem do Mérito Militar a personalidades que prestaram relevantes serviços à instituição.

Seguindo as medidas de prevenção à covid-19, os agraciados e oficiais-generais ocuparam seus assentos no Espaço Cultural do Quartel-General Integrado (QGI) e ouviram a Canção do Exército, entoada pelo coral da banda de música do 2º Batalhão de Polícia do Exército.

Mais elevada distinção honorífica do Exército Brasileiro, a Medalha da Ordem do Mérito Militar foi entregue às seguintes autoridades: Vice-Diretor do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial, Major-Brigadeiro do Ar Ricardo José Freire de Campos; Diretor de Material Aeronáutico e Bélico da Força Aérea Brasileira, Major-Brigadeiro do Ar José Madureira Júnior; e  Diretor de Desenvolvimento Nuclear da Marinha do Brasil, Vice-Almirante Guilherme Dionízio Alves, dentre outros.

A cerimônia foi presidida pelo Comandante Militar do Sudeste, General de Exército Tomás Miguel Miné Ribeiro Paiva, e contou com a presença do Coordenador Geral do Escritório de Ligação Sudeste do Sistema Defesa, Indústria e Academia de Inovação (SisDIA), General de Exército Francisco Carlos Modesto; do Comandante da 2ª Região Militar, General de Divisão João Chalella Júnior; do Comandante da 2ª Divisão de Exército, General de Divisão Edson Diehl Ripoli; do Diretor do Hospital Militar de Área de São Paulo, General de Brigada Médico Marco Aurélio Nunes Pereira; e do Chefe do Estado-Maior do CMSE, General de Brigada Carlos Eduardo Barbosa da Costa.

Dia do Exército

O Exército Brasileiro tem suas raízes fincadas na 1ª Batalha dos Guararapes, ocorrida em 19 de abril de 1648, nas proximidades de Recife, em Pernambuco. Esse episódio resultou na vitória do “Exército Patriota”, integrado por combatentes das três raças formadoras da nacionalidade brasileira – brancos, negros e indígenas –, sobre as tropas de ocupação do invasor holandês que dominou boa parte da região Nordeste por 18 anos.

(CCOMSEX/FM)

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *