Comandos Conjuntos realizam ações contra delitos ambientais na Amazônia Legal

O Comando Conjunto Oeste, sediado em Campo Grande, capital de Mato Grosso do Sul, está à frente de inspeções nas localidades de Palmarito, Corixa e Fortuna. Diariamente, veículos que transitam pelas estradas são vistoriados.

Sob o Comando Conjunto Amazônia, sediado em Manaus, no Amazonas, são fiscalizados madeireiras e beneficiamento de madeiras. O 54º Batalhão de Infantaria de Selva (54º BIS) fez reconhecimento aeromóvel em apoio ao IBAMA, em Apuí, também no Amazonas. Os militares desse Batalhão combateram crimes ambientais em apoio ao ICMBio e Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas, na Flora Novo Aripuanã e Apuí. O resultado dessas atividades foi a revista de 28 viaturas e 26 embarcações, com a apreensão de duas viaturas e detenção de quatro pessoas.

O início desta semana contou, ainda, com ações desempenhadas pelo Comando Conjunto Norte, que resultou em inspeção naval nas localidades de Belém e Almeirim, no Pará. O 52° BIS apoiou as ações repressivas, em cooperação e coordenação com o IBAMA, no município de São Félix do Xingu, no Pará. Foi realizada fiscalização aérea em pontos coordenados pelo IBAMA no mesmo município.

Já o 51º BIS fez patrulhamento motorizado na localidade de Uruará, no Pará. O balanço diário dessas atividades foram a revista de nove embarcações e apreensões de uma embarcação, um caminhão, 11,68 metros cúbicos de madeira, um armamento, 17 munições e 15 equipamentos diversos, além da fiscalização de duas madeireiras.

Ainda, a equipe do Serviço de Fiscalização de Produtos Controlados do Comando da 23ª Brigada de Infantaria de Selva (23ª Bda Inf Sl) inspecionou atividades com emprego de explosivos nos municípios de Parauapebas e Marabá, no Estado do Pará. A ação ocorreu de 18 a 20 de junho.

Também como parte das atividades da Operação, a Capitania dos Portos da Amazônia Oriental apreendeu, no dia 18 de junho, uma embarcação que transportava madeira extraída ilegalmente. A ação ocorreu durante a fiscalização do tráfego aquaviário no município de Moju, no Pará, e adjacências. Na abordagem, foram constatadas infrações como ausência de documentações previstas nas Normas da Autoridade Marítima e de tripulantes habilitados, comprometendo a segurança da navegação e a salvaguarda da vida humana no mar.

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Moju confiscou a madeira ilegal. Já a embarcação com material irregular foi apreendida e escoltada até a cidade de Moju e os comandantes foram apresentados à autoridade policial.

Por Tenente Cristiane dos Santos
Fotos: divulgação Forças Armadas

Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>