Warning: mysqli_set_charset(): Error executing query in /var/www/html/folhamilitaronline.com.br/web/wp-includes/wp-db.php on line 792

Comitiva visita indstrias e unidades de tecnologia aeroespacial da FAB

Uma comitiva chefiada pelo Ministro de Estado da Defesa, Joaquim Silva e Luna, e pelo Comandante da Fora Area Brasileira (FAB), Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato, concluiu, na tera-feira (18), uma srie de visitas a unidades e companhias que produzem tecnologia no campo do Poder Aeroespacial. O objetivo foi atualizar o Ministrio da Defesa (MD) sobre o andamento dos projetos nessa esfera.

O grupo, formado ainda por oficiais-generais das trs Foras Armadas, esteve no ptio industrial da Embraer, em Gavio Peixoto (SP), na indstria AVIBRAS e no complexo do Departamento de Cincia e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), esses dois ltimos localizados em So Jos dos Campos (SP).

Na fbrica da Embraer, a comitiva foi atualizada sobre o desenvolvimento dos projetos no segmento de defesa e segurana, principalmente o KC-390, aeronave multimisso de transporte desenvolvido pela empresa brasileira.

Nos hangares de montagem estrutural e montagem final, o grupo recebeu dos engenheiros da indstria as informaes detalhadas sobre a construo do avio. A Embraer informa que o novo vetor areo j passou pela certificao inicial da Agncia Nacional de Aviao Civil (ANAC) e, em breve, passar pelo mesmo crivo no mbito militar, sob responsabilidade da FAB.

Pelo decorrer da produo, de acordo com o Presidente e CEO da Embraer Defesa & Segurana, Jackson Schneider, o KC-390 dever ser entregue em 2019. “Tivemos a oportunidade de atualizar a comitiva sobre esses projetos, principalmente em relao ao KC-390, que est praticamente em etapa final de certificao, cumprindo seus testes de voos finais em misses militares”, declarou.

Capacidade tecnolgica

De acordo com o Ministro da Defesa, o nvel tecnolgico encontrado no parque industrial o surpreendeu e demonstra a capacidade de produo do Brasil, cada vez mais independente. “A guerra tende a ir para o espao. O Brasil, pelo seu tamanho e pela sua profundidade estratgica, precisa muito de aeronave de transporte de pessoal, de carga, de reabastecimento em voo. Essa aeronave tem essa capacidade”, falou, em relao ao KC-390.

A Embraer tambm apresentou os nmeros gerados pela pesquisa e desenvolvimento de projetos e solues na rea aeroespacial. Conforme relatrio da empresa, hoje, mais de 5,5 mil pessoas do grupo esto dedicadas ao segmento tecnolgico e mais de US$ 430 milhes foram investidos no setor, em 2017. Somente na rea de defesa e segurana, a organizao brasileira j atende 60 foras armadas em todo o mundo.

Integrao

Na AVIBRAS, o Ministro da Defesa e o Comandante da FAB tambm foram atualizados dos programas da companhia para a defesa brasileira. Entre os produtos e servios, foram apresentadas as evolues dos projetos Astros 2020, blindados destinados ao Exrcito Brasileiro; AV-55-40G, um modelo de foguete guiado; AV-MTC, mssil ttico de cruzeiro que alcana at 300 quilmetros; Voo Cativo, iniciativa que ir testar o mssil MTC em caas F-5, previsto para ocorrer no incio de 2019; Veculo Lanador de Microssatlites (VLM); e MANSUP, Mssil Antinavio nacional, desenhado para as necessidades da Marinha do Brasil.

O Vice-presidente da AVIBRAS, Leandro Villar, tratou ainda de dois importantes projetos em curso, desenvolvidos para a FAB: o mssil A-Darter e o motor S-50, parte do programa Veculo Lanador de Microssatlite (VLM). “Pudemos mostrar onde estamos e onde chegaremos. A infraestrutura precisou ser adaptada, desenvolvemos tecnologia de materiais e compostos e j estamos em estgio avanado. Em breve, entregaremos esse produtos para a Fora Area. Iremos colocar o Brasil como um dos players desse mercado”, pontuou.

Segundo o Comandante da FAB, a AVIBRAS mostrou ter uma rea de tecnologia e de armamamento bastante avanada, com capacidade de exportao elevada. “ uma companhia bastante madura e desenvolvida, com equipamentos de grande importncia”, completou.

DCTA

O Diretor-Geral do Departamento de Cincia e Tecnologia Aeroespacial, Major-Brigadeiro do Ar Hudson Costa Potiguara, apresentou relatrio com as principais solues cientfico-tecnolgicas no campo do Poder Aeroespacial. Hoje, a Organizao Militar (OM) desenvolve 114 projetos, em 159 laboratrios, com a finalidade de manuteno da soberania do espao areo e a integrao nacional.

Quase metade das iniciativas forjada nos laboratrios do Instituto Tecnolgico de Aeronutica (ITA), onde, por exemplo, foi demonstrada a capacidade dos espaos de guerra eletrnica, parte do Programa de Ps-Graduao em Aplicaes Operacionais, que especializa militares no campo da defesa. O grupo de autoridades tambm conheceu o laboratrio do ITASAT, onde avana projetos e desenvolvimento de sistemas espaciais, como, por exemplo, o Carponis-1, primeiro satlite brasileiro de sensoriamento remoto de alta resoluo espacial.

No Instituto de Aeronutica e Espao (IAE), onde h 48 laboratrios, a comitiva foi informada sobre a evoluo do projeto VS-50, veculo suborbital para ensaios de microgravidade e para experimentos hipersnicos, desenvolvido em parceria com a Alemanha.

No mesmo espao, foi explanada uma das maiores iniciativas do Instituto de Estudos Avanados (IEAV), o 14-X. Trata-se de um planador hipersnico integrado a um motor que permitir acesso facilitado ao espao. Conforme as perspectivas do IEAV, as demonstraes em voo devem ocorrer at 2022.

A srie de visitas rea funcional do DCTA foi encerrada no Instituto de Pesquisas e Ensaios em Voo (IPEV). Pilotos da unidade demonstraram a utilizao do simulador, que permite, de forma segura e realista, a percepo do comportamento de aeronaves com diversas caractersticas de estabilidade e controle.

Investimentos

Segundo o Comandante da FAB, a ida ao DCTA comprovou, por meio dos diversos institutos, a elevada estrutura tecnolgica da OM. “Entendo que, com essa capacidade e com as cabeas que ns temos, s nos falta um pouco mais de recursos para que todos os projetos se tornem realidade”, frisou.

O Ministro da Defesa reforou a necessidade de ampliar os investimentos. “Vejo aqui um grande desafio, mas vejo tambm uma grande esperana. O setor aeroespacial necessita de pesquisa, desenvolvimento e projetos. O que vimos aqui so pesquisas voltadas para aplicao, so projetos ousados e que no nos deixa devendo a nenhum pas do mundo. O Ministrio da Defesa precisa reforar a importncia dos recursos direcionados a esses projetos. Precisamos convencer as autoridades para que coloquem recursos e que se invista cada vez mais em pesquisas. H uma competio com o tempo, a tecnologia acaba sendo superada”, concluiu.

Assista ao vdeo sobre a srie de visitas s unidades e companhias que produzem tecnologia no campo do Poder Aeroespacial:

Fotos: Sargento Brunto Batista/CECOMSAER

Vdeo: Marcos Poleto/CECOMSAER

(CECOMSAER/FM)

Share

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *