Comunidades indígenas recebem mais de 3 mil cestas básicas entregues pelas Forças Armadas

Comunidades indígenas recebem mais de 3 mil cestas básicas entregues pelas Forças Armadas

Os povos indígenas são mais vulneráveis a viroses e as doenças respiratórias são a principal causa de mortalidade infantil nessas comunidades, informa a Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai). Neste contexto, o apoio das Forças Armadas é imprescindível para resguardar o bem-estar dessas comunidades durante a pandemia provocada pelo novo coronavírus.

Uma desses apoios ocorre com a distribuição de alimentação para comunidades indígenas. Até o momento, mais de 3 mil cestas básicas foram distribuídas. Só no Pará, por meio da Operação Trincheira, que integra a Operação COVID-19, cerca de 2,6 mil cestas foram levadas até aldeias de diversas etnias. O Comando Conjunto Amazônia também apoiou comunidades próximas ao município de São Gabriel da Cachoeira, no Amazonas, com a entrega de kits de alimentação.

esta imagem não possui descrição

Parte dessas cestas, total de 1,5 mil quilos de mantimentos foram transportados por aeronave C-105 da Força Aérea Brasileira (FAB). Os alimentos foram direcionado para as comunidades de Querari, Jutica, Açaí, Taracuá Ponta, Yauaratê Ponta e Jacaré, localizadas nos arredores do município de São Gabriel da Cachoeira.

No mesmo Estado, outros 1.264 quilos de alimentos e itens de higiene beneficiaram a comunidade indígena de Maturacá, também Amazonas. Nos dias 5 e 11 de maio, foram distribuídas 267 cestas básicas e itens de higiene para essa localidade.

esta imagem não possui descrição

No Estado vizinho, a Fundação Nacional do Índio (Funai) contou com apoio de militares do Comando Conjunto Norte (CMN) no transporte de 252 cestas básicas para serem distribuídas em 17 aldeias da Terra Indígena Trincheira-Bacajá, no Pará. O alimento foi doado pela empresa Norte Energia. A área indígena tem aproximadamente 1,6 milhão de hectares e população de 746 pessoas dos povos Araweté e Asurini do Xingu.

Para evitar a transmissão do novo coronavírus aos indígenas, os Comandos seguem as orientações de higiene da Secretaria Especial de Saúde. O transporte dos alimentos é feito em viaturas descontaminadas, assim como as embalagens dos mantimentos são todas higienizadas.

Operação COVID-19

O Ministério da Defesa ativou, em 20 de março, o Centro de Operações Conjuntas, para atuar na coordenação e no planejamento do emprego das Forças Armadas no combate à COVID-19. Nesse contexto, foram ativados dez Comandos Conjuntos, que cobrem todo o território nacional, além do Comando Aeroespacial (COMAE), de funcionamento permanente. A iniciativa integra o esforço do governo federal no enfrentamento à pandemia que recebeu o nome de Operação COVID-19.

esta imagem não possui descrição

As demandas recebidas pelo Ministério da Defesa, de apoio a órgãos estaduais, municipais e outros, são analisadas e direcionadas aos Comandos Conjuntos para avaliarem a possibilidade de atendimento. De acordo com a complexidade da solicitação, tais demandas poderão ser encaminhadas ao Gabinete de Crise, que determinará a melhor forma de atendimento.

Por Mariana Alvarenga

Fotos: Divulgação Forças Armadas

(MD ASCOM/FM)

 

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *