DECEA participa do 4º Fórum Asas e discute o futuro do controle de tráfego aéreo

Evento realizado em São Paulo reuniu especialistas e líderes do setor aéreo

O Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), Unidade da Força Aérea Brasileira (FAB) localizada no Rio de Janeiro (RJ), participou do 4° Fórum Asas, realizado em São Paulo (SP), no dia 10 de maio. Com o tema “Controle de Tráfego Aéreo: Desafios e Futuro”, o evento reuniu especialistas e líderes do setor aéreo.

“O índice de segurança de voo no Brasil é invejável. Além disso, o controle de tráfego aéreo é uma área que assimila novas tecnologias. Há, ainda, muitas empresas importantes que são parceiras do DECEA nesse avanço. Então, quis mostrar essa realidade e os novos desafios nessa área, como os drones, um dos temas do Fórum”, ressaltou o editor da Revista Asas, Cláudio Lucchessi.

Na abertura, o Diretor-Geral do DECEA, Tenente-Brigadeiro do Ar Jeferson Domingues de Freitas, agradeceu o convite parabenizou a revista Asas pela iniciativa. “O tema é o nosso dia a dia e a participação do DECEA é fundamental para atualização dos profissionais da área. Na gestão do tráfego aéreo, a nossa preocupação é com a satisfação e a segurança do usuário final. Por essa razão, a Unidade vem participando de eventos como este, que promove nossa atividade e permite encontros com as empresas áreas, as administradoras de aeroportos e os profissionais da área de controle de tráfego aéreo, importantes para agregar a nossa comunidade aeronáutica”, destacou o Oficial-General.

Na plateia havia representantes de empresas aéreas, controladores de tráfego aéreo, veteranos da Força Aérea Brasileira (FAB), militares da área operacional do Serviço Regional de Proteção ao Voo de São Paulo (SRPV-SP) e a participação do presidente da Comissão de Implantação do Sistema de Controle do Espaço Aéreo (CISCEA), Major-Brigadeiro Engenheiro Fernando Cesar Pereira Santos; do chefe do Subdepartamento de Operações do DECEA, Brigadeiro do Ar Ary Rodrigues Bertolino; do chefe do SRPV-SP, Coronel Aviador Anderson da Costa Turola; e do fundador da Embraer, Ozires Silva.

O primeiro assunto, apresentado pelo chefe da Divisão Técnica da CISCEA, Tenente-Coronel Engenheiro André Eduardo Jansen, foi “O Projeto de Evolução da Rede Operacional do Sistema de Controle do Espaço Aéreo Brasileiro (ATN-Br) e a Perspectiva de Adoção de Modelo de Parceria Público-Privada (PPP) para a Gestão das Redes de Comunicações do Comando da Aeronáutica”. Ele reforçou a importância dos diversos parceiros da indústria aeronáutica nos projetos ATN-Br, assim como no processo de transição da gestão das redes da Força Aérea para o modelo de PPP. “É muito importante passar para a comunidade aeronáutica a evolução das nossas redes dentro da atividade de controle de tráfego aéreo. E é um orgulho para a CISCEA participar dessa inovação, que é a mudança do modelo de gestão”, afirmou.

Já o chefe da Divisão de Coordenação e Controle e da Seção de Planejamento de Operações Militares do Subdepartamento de Operações do DECEA, Tenente-Coronel Aviador Jorge Humberto Vargas Rainho, falou sobre o acesso ao espaço aéreo brasileiro pelas aeronaves remotamente pilotadas (RPAS). Ele mostrou que o DECEA já está preparado para o futuro e falou dos desafios que se apresentam diariamente, com o Sistema de Solicitação de Acesso ao Espaço Aéreo por RPAS (SARPAS), que já aprovou 86% dessas solicitações. “Estamos preparados para a necessidade que o mundo enfrenta com a integração desse componente ao espaço aéreo não segregado. Estamos à frente e mantendo o nível de segurança no espaço aéreo”, explicou.

O último tema do Fórum foi a Navegação Baseada em Performance (PBN), palestra do adjunto da Seção de Planejamento de Gerenciamento de Tráfego Aéreo do Subdepartamento de Operações do DECEA, Capitão Cristian da Silveira Smidt. O oficial contou que a International Civil Aviation Organization (ICAO) tem implantado em todo o mundo o Performance Based Navigation (PBN). Trata-se de um conjunto de novas técnicas de navegação que permite a aeronaves de mesmo perfil voar em Rotas de Navegação Aérea (RNAV) a distâncias laterais e longitudinais reduzidas. Inserido no Programa Sirius Brasil, o PBN está ligado ao gerenciamento de tráfego aéreo e, consequentemente, à otimização da estrutura da rede de rotas ATS (serviços de tráfego aéreo) e contempla a implementação de soluções de tecnologia satelital, comunicação digital e gestão estratégica da navegação aérea, a partir da integração de tecnologias, processos e recursos humanos. “O conceito do espaço aéreo PBN se alinha ao desafio do futuro da aviação, pois prevê ferramentas necessárias para atender a demandas futuras da aviação”, disse.

O Sargento Weslei Canêdo de Oliveira, que trabalha com investigação de ocorrência de tráfego aéreo e no desenvolvimento do Sistema de Informações Gerenciais do Subsistema de Segurança do Sistema de Controle do Espaço Aéreo (SIGCEA), diz que o seminário foi muito importante. “Conheci as novas tecnologias empregadas que serão fundamentais para ajudar no nosso trabalho diário, principalmente com o Relatório de Prevenção de Acidentes Aeronáuticos. A palestra sobre RPAS mostrou o que acontece diariamente na nossa seção e, como elo do Sistema de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos, precisamos dessa estatística apresentada para assessorar as ações futuras do DECEA”, especificou.

(CECOMSAER/FM)

Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>