Defesa publica diretriz para ampliar apoio das Forças Armadas ao Mais Médicos

Defesa publica diretriz para ampliar apoio das Forças Armadas ao Mais Médicos

Brasília, 19/03/2015 – As Forças Armadas vão ampliar o apoio logístico aos profissionais de saúde integrantes do Programa Mais Médicos do Governo Federal. Agora está autorizado auxílio da Marinha, do Exército e da Aeronáutica para o transporte de supervisores do projeto. A novidade está expressa na Diretriz Ministerial nº 3, de 18 de março de 2015, publicada no dia 19 de março no Diário Oficial da União.

As Forças Armadas irão apoiar logisticamente os supervisores que atuam no Programa Mais Médicos do Governo Federal
As Forças Armadas irão apoiar logisticamente os supervisores que atuam no Programa Mais Médicos do Governo Federal

De acordo com o documento, a cooperação das Forças Armadas com o Programa Mais Médicos será executada em todo o território nacional até 31 de dezembro deste ano. Segundo informações da Chefia de Logística do Ministério da Defesa (Chelog/MD), o papel da pasta é planejar as rotas, viaturas e demais meios que serão empregados para levar esses supervisores, que são médicos civis e militares responsáveis por acompanhar a atuação dos profissionais.

Durante as inspeções, cada supervisor brasileiro fica a cargo de, em média, dez profissionais do programa. O objetivo é verificar, além do atendimento prestado à população, as condições de trabalho e disponibilidade de materiais. São visitas realizadas a periodicamente.

O vice-chefe da Chelog, general José Orlando Ribeiro Cardoso, explicou que o apoio das Forças Armadas é fundamental para o andamento do projeto. O programa acontece em municípios carentes e, muitas vezes, inóspitos e de difícil acesso. “Em muitos lugares não tem quem chegue. Então, nosso papel é de transporte exclusivo”, disse.

O general afirmou, ainda, que alguns médicos passam por curso de especialização em saúde indígena para atender à demanda dessas comunidades. Em fevereiro, 25 profissionais de todo o país passaram por capacitação desta natureza, oferecida em Cuiabá (MT).

No caso do apoio logístico, Orlando lembrou que a ação acontece de maneira integrada com os ministérios da Saúde e da Educação, além da Casa Civil. “O pedido vem desses órgãos. Aqui, nós somos um elo com as Forças. Quem executa é a Marinha, o Exército e a Aeronáutica.”

Sobre o Programa

Até 2014, a iniciativa do Governo Federal levou cerca de 14,5 mil médicos a 3.785 municípios de todo país, atendendo 50 milhões de brasileiros.

A previsão do Ministério da Saúde é que, até o final de 2015, o número de profissionais atuando pelo programa alcance 18,2 mil, levando assistência à saúde para 63 milhões de pessoas.

A atuação das Forças Armadas ocorre na recepção dos integrantes do programa nos aeroportos; transporte aéreo para capitais e centros de capacitação; distribuição para municípios da Amazônia Legal; além do transporte de médicos supervisores.

Foto: FAB

(MD ASCOM/ FM)

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *