Delitos ambientais na Amazônia Legal são reprimidos por terra, céus e rios

Delitos ambientais na Amazônia Legal são reprimidos por terra, céus e rios

Para coibir delitos ambientais, os militares da Marinha, do Exército e da Aeronáutica envolvidos na Operação Verde Brasil 2, atuam por meios terrestres, aéreos e fluviais na Amazônia Legal. Em terra, os Comando Conjuntos previnem e reprimem atividades ilegais ligadas ao desmatamento de florestas nacionais, como com o controle de vias, a fiscalização de madeireiras e a capacitação de agentes e militares.

Na capital federal, o Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE) realizou missões de mobilização de pessoal e de equipamentos com as aeronaves C-130 Hércules e U-100 Phenom. Por meios fluviais, o Comando Conjunto Marechal Soares de Andrea, no Pará, realizou inspeções navais em diversos rios do Estado, utilizando embarcações da Marinha.

esta imagem não possui descrição

Os militares também fizeram reconhecimento de regiões, ofereceram apoio logístico a órgãos civis e capacitação para escolta de comboios, desobstrução e controle de vias, além de instrução sobre Legislação Ambiental. A apreensão de veículos, equipamentos para extração ilegal de madeira e munição foram outras atividades apoiadas pelos integrantes das Forças Armadas.

O Comando Conjunto Príncipe da Beira, que atua nos estados de Rondônia, Amazonas e Acre, nivelou conhecimentos para integrantes da Força Nacional de Segurança Pública. Os militares, em parceria com agentes da Polícia Federal, IBAMA e ICMBio, desencadearam ações preventivas e repressivas contra delitos ambientais. As iniciativas resultaram na apreensão de equipamentos, munição e armamento. Foram, ainda, aplicados termos de infração e multas que somaram perto de R$ 3,5 milhões. As atividades contaram com integrantes do 17º Pelotão de Polícia do Exército e do 6º e do 4º Batalhões de Infantaria de Selva, apoiados por aeronave H-36 Caracal da Força Aérea Brasileira.

esta imagem não possui descrição

Para reforçar o trabalho do Comando Conjunto Barão de Melgaço chegou à capital mato-grossense helicóptero UH-12 do 1º Esquadrão de Helicópteros de Emprego Geral do Oeste (EsqdHU-61), do 6º Distrito Naval. Outro apoio é o destacamento logístico encaminhado pelo 9º Grupamento Logístico do Exército. Essa estrutura é composta por módulos de Comando, Transporte, Manutenção, Suprimento e Recursos Humanos.

O Comando também instalou dois postos de bloqueio de controle em estradas de Mato Grosso. Militares da 1ª Companhia de Fuzileiros do 66º Batalhão de Infantaria Motorizada ainda receberam treinamento para combater incêndios florestais, com o apoio do Corpo de Bombeiros Militares do Estado.

Operação Verde Brasil 2

A Operação Verde Brasil 2 é coordenada pela Vice-Presidência da República, em apoio aos órgãos de controle ambiental e de segurança pública. A missão deflagrada pelo Governo Federal, em 11 de maio de 2020, visa ações preventivas e repressivas contra delitos ambientais na Amazônia Legal. A determinação presidencial para emprego das Forças Armadas em Garantia da Lei e da Ordem (GLO) foi publicada no Diário Oficial da União por meio do Decreto n° 10.341, de 6 de maio de 2020, e tem validade para o período de 11 de maio a 10 de junho do corrente ano.

Para cumprir a determinação presidencial, o Ministério da Defesa ativou três Comandos Conjuntos. São eles: Comando Conjunto Príncipe da Beira (CCj PB), em Porto Velho (RO); Comando Conjunto Barão de Melgaço (CCj BM), em Cuiabá (MT); e Comando Conjunto Marechal Soares de Andrea (CCj MSA), em Belém (PA). Assim como na Operação Verde Brasil ocorrida em 2019, o Centro de Operações Conjuntas do Ministério da Defesa coordena as atividades a partir de Brasília (DF). Ainda participam da missão integrantes da Polícia Federal, Policia Rodoviária Federal, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMbio), Força Nacional de Segurança Pública, Agência Brasileira de Inteligência (ABIN) e Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam).

Por Tenente Felipe Bueno, com Comandos Conjuntos

Fotos: Divulgação das Forças Armadas

(MD ASCOM/FM)

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *