Do ensino no Brasil aos testes de idiomas em Saint-Jean (Canadá)

EXERCITO 1Chegada à Guarnição de Saint Jean (Canadá) no outono do ano passado, a Tenente-Coronel Carla Beatriz Albach, que trabalha na Seção de Currículo de Inglês da Academia de Defesa do Canadá (Canadian Defence Academy – CDA), falou-nos de sua experiência em solo canadense e da sua carreira militar em seu país natal, o Brasil. A oficial do Exército Brasileiro exerce as funções de professora, tradutora e intérprete há 23 anos.

Ela explica que o funcionamento de seu Quadro difere um pouco da contraparte canadense: “cada um tem sua especialidade em função de sua formação acadêmica”. Os militares de carreira ou temporários trabalham em tempo integral. O Exército Brasileiro é o segundo mais importante da América, atrás apenas [do Exército] dos Estados Unidos.

No caso da Tenente-Coronel Albach1, é por meio do ensino que ela aplica seus conhecimentos, a fim de instruir os futuros oficiais do Quadro de Estado-Maior, no Rio de Janeiro, onde está localizada sua Unidade. Outro fato a salientar é que, em seu país, o Serviço Militar é obrigatório para homens com idade acima de 18 anos e tem duração de nove a doze meses.

A passagem da Ten Cel Albach pelo grupo da CDA é resultado de uma parceria entre as  Forças Canadenses e o Exército Brasileiro. Na Guarnição de Saint Jean, ela trabalha na Seção de Currículo, de forma a contribuir para a elaboração dos testes STANAG (que é a abreviatura de Acordo de Padronização, traduzido para o Francês por acordo de normalização, estabelecido segundo a Organização do Tratado do Atlântico Norte – OTAN).

“Aqui na Escola de Línguas nós nos esforçamos para que estes testes possibilitem que os candidatos atinjam o nível 2 no segundo idioma, seja o Francês ou o Inglês, de modo que eles estejam aptos a se comunicarem”, ela continua. De fato, os oficiais estrangeiros que estudam no Destacamento de Saint Jean da Escola de Idiomas das Forças Canadenses deverão obter sucesso nesses testes, a fim de estarem prontos para seguir em uma missão com a OTAN. Os exames avaliam a capacidade de compreensão oral e escrita.

Além de seu trabalho, a Ten Cel Albach é apaixonada por treinamento físico, que ela pratica continuamente desde sua chegada à Guarnição de Saint Jean. Além do treinamento em circuito (bootcamp) e aulas de ioga, ela se dedica intensamente à corrida, com vistas à meia-maratona feminina que ocorrerá na primavera em Nova Iorque. “Tento aproveitar ao máximo o que a Base coloca à minha disposição!”, ela afirma com um sorriso. Ela trouxe seus dois filhos, para que eles também pudessem aproveitar esta experiência enriquecedora. “A minha filha, com 21 anos e o meu filho, com 18, estão aprimorando o inglês e o francês, além de se acostumarem com o rigor do clima canadense!”, ela acrescenta.

Por último, a Tenente-Coronel, que serviu no Haiti após o terremoto de 2010, mantém o projeto de voltar ao exterior para ajudar o próximo. “A ajuda humanitária é uma experiência muito gratificante;  gostaria muito de, futuramente, me dedicar a ela outra vez”, conclui a oficial.

(CCOMSEX/ FM)

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *