Em julho, Acre e Piauí recebem Projeto Rondon

Em julho, Acre e Piauí recebem Projeto Rondon

A partir da sexta-feira (05), o Projeto Rondon iniciará as atividades do segundo semestre com duas operações. A primeira, batizada de Operação Vale do Acre, leva 252 rondonistas, entre professores e universitários, para atuar em 12 municípios acreanos. O outro estado a receber as ações do projeto é o Piauí, por meio da Operação João de Barro. Também com a participação de 252 rondonistas que atuarão igualmente em 12 municípios. Cada um recebe 20 voluntários de duas Instituições de Ensino Superior (IES).

esta imagem não possui descrição

No Acre, está será a sétima vez de atuação do Projeto Rondon. O suporte logístico e a segurança necessários às atividades ficam a cargo do Comando de Fronteira Acre/4º Batalhão de Infantaria de Selva. A cerimônia de abertura da Operação Vale do Acre será realizada no teatro da Universidade Federal do Acre (UFAC), às 11h do dia 06 de julho, na capital Rio Branco. Os rondonistas permanecem no estado de 05 a 21 de julho.

Ainda participará da Operação Vale do Acre, equipe de Comunicação Social da Universidade de Brasília (UnB), que realizará a cobertura jornalística e produzirá conteúdo para as mídias sociais sobre as atividades desenvolvidas pelas demais equipes, dando maior visibilidade às ações sociais realizadas.

Dentre os municípios selecionados no Acre, alguns já receberam o Projeto Rondon em outras operações. Assis Brasil receberá as intervenções sociais do Projeto pela terceira vez. Brasiléia, Capixaba, Epitaciolândia, Feijó e Tarauacá receberão pela segunda vez e os outros seis, Acrelândia, Bujari, Plácido de Castro, Porto Acre, Senador Guiomard e Xapuri, terão sua estreia nas operações.

Já no Piauí, será a sexta vez de atuação do Rondon e as atividades estão agendadas para o período de 12 a 28 de julho. Nessa operação, os rondonistas contarão com o apoio do 25º Batalhão de Caçadores e do 3° Batalhão de Engenharia e Construção, que proporcionarão o suporte logístico e a segurança necessários às atividades. A cerimônia de abertura da Operação será realizada no auditório da Ordem dos Advogados do
Brasil, às 11h do dia 13 de julho, em Teresina (PI).

esta imagem não possui descrição

Na Operação João de Barro, o apoio de Comunicação Social será de equipe da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR). Dentre os municípios selecionados, apenas uma já recebeu o Rondon em uma das outras cinco edições do Projeto no Piauí, o município de Inhuma receberá rondonistas pela segunda vez.

Com a orientação dos professores, os estudantes que participam do Projeto Rondon levam às comunidades ações multiplicadoras para impactar lideranças comunitárias, educadores agentes de saúde e servidores públicos. As capacitações envolvem áreas de saúde, educação, direitos humanos e justiça, cultura, trabalho, meio ambiente, tecnologia e produção e comunicação.

Operação piloto

O Projeto Rondon teve início em julho de 1967 com a Operação Piloto ou Operação Zero. A iniciativa contou com a participação de 30 alunos e dois professores da Universidade do Estado da Guanabara, hoje Universidade do Estado do Rio de Janeiro, da Universidade Federal Fluminense e da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. A operação teve duração de 28 dias e foram desenvolvidas atividades de levantamento, pesquisa e assistência médica no Território Federal de Rondônia.

As atividades do projeto foram encerradas em 1989. Em janeiro de 2005, em Tabatinga, no Amazonas, o Projeto Rondon foi relançado, sob coordenação do Ministério da Defesa. Desde então, é conduzido em estreita parceria com o Comitê de Orientação e Supervisão (COS), criado pelo Decreto de 14 de janeiro de 2005, substituído pelo Decreto nº 9.848, de 25 de junho de 2019.

Desde o relançamento, foram desenvolvidas 82 operações, em 1.213 municípios de 24 unidades da Federação, com a participação de 2.306 instituições de ensino superior e 22.896 rondonistas, alcançando cerca de 2 milhões de pessoas.

Orientado pelos princípios da democracia, da responsabilidade social e da defesa dos interesses nacionais, o projeto tem como escopo de atuação a formação do jovem universitário como cidadão e o desenvolvimento sustentável nas comunidades pouco assistidas.

Com informações do projeto Rondon

(MD ASCOM/FM)

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *