FAB e Embraer firmam cooperação com foco em desenvolver aeronaves não tripuladas

FAB e Embraer firmam cooperação com foco em desenvolver aeronaves não tripuladas

A Força Aérea Brasileira (FAB) e a Embraer realizarão um estudo conjunto para o desenvolvimento de um Veículo Aéreo Não Tripulado (VANT) de classe superior, com tecnologia nacional e de múltiplas capacidades. O documento que estabelece a cooperação foi assinado na sexta-feira (23), no Comando da Aeronáutica, em Brasília (DF). Com alto teor tecnológico, esse projeto tem por objetivo aumentar a capacidade da FAB na manutenção da soberania do Espaço Aéreo, com custos e riscos reduzidos.

A cerimônia de assinatura do acordo contou com a presença do Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Carlos de Almeida Baptista Junior; do Chefe do Estado-Maior da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Marcelo Kanitz Damasceno; de Oficiais-Generais da Aeronáutica; do Presidente e CEO da Embraer Defesa & Segurança, Jackson Schneider; dentre outros representantes da Embraer.

Segundo o Comandante da Aeronáutica, essa parceria é um evento histórico, por estar concretizando um projeto iniciado há 15 anos, rumo à realização de um requisito operacional, que é um Sistema de Aeronaves Remotamente Pilotadas (SARP) de classe superior. “Na guerra moderna é imprescindível a utilização de plataformas aéreas não tripuladas, operando isoladamente ou em conjunto com aeronaves tripuladas, no cumprimento das missões atribuídas à Aeronáutica”, completou o Tenente-Brigadeiro Baptista Junior.

De acordo com o Presidente e CEO da Embraer Defesa & Segurança, esse estudo é de fundamental importância para a manutenção e a expansão das competências da Embraer no desenvolvimento de sistemas aéreos de defesa com alto teor tecnológico e grande complexidade de integração. “Estamos dando o primeiro passo na concepção de um produto que nos coloca o Brasil na primeira dimensão de domínio tecnológico do que vem por aí. Estamos no estado da arte do que há de conhecimento mais avançado no mundo para esse tipo de solução de defesa, vigilância aérea e acompanhamento de ameaças”, frisou Jackson Schneider.

O desenvolvimento de um Veículo Aéreo Não Tripulado superior com tecnologia nacional contribui, ainda, para fomentar a Base Industrial de Defesa (BID) e suas empresas estratégicas, ao mesmo tempo em que atende as necessidades brasileiras na área.

Sistemas e Veículos Aéreos Não Tripulados na FAB

O Comando da Aeronáutica (COMAER) possui vasta experiência em operações com Sistemas e Veículos Aéreos Não Tripulados para aplicação nas ações de Inteligência, Vigilância e Reconhecimento (IVR).

Em estudos internos e por meio de seu Planejamento Baseado em Capacidades, foi identificado que o uso desse tipo de sistema aumentaria a eficiência das operações de IVR, se operados em quantidades adequadas e a partir de diferentes bases aéreas do território nacional.

Somado a isso, o aumento de eficiência das operações de IVR também viria com o uso de Sistemas de Aeronaves Remotamente Pilotadas com a performance e o desempenho adequados para a dimensão territorial, fronteiriça e costeira brasileira, bem como da zona econômica exclusiva e da área onde a Força Aérea Brasileira cumpre missões de busca e salvamento para localizar e salvar pessoas em perigo, na terra ou no mar, totalizando 22 milhões de km².

Clique aqui e assista ao vídeo da matéria.

Fotos: Sargento Johnson Barros / CECOMSAER

Vídeo: Suboficial Barros / CECOMSAER

(CECOMSAER/FM)

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *