Filme em homenagem ao Almirante Álvaro Alberto, Patrono da Ciência, Tecnologia e Inovação na Marinha, é lançado no Rio de Janeiro

O Comandante da Marinha do Brasil, Almirante de Esquadra Ilques Barbosa Junior, e demais autoridades militares e civis, entre elas o Presidente da Academia Brasileira de Ciências, Luiz Davidovich, participaram do lançamento do filme em homenagem ao Almirante Álvaro Alberto, Patrono da Ciência, Tecnologia e Inovação na Marinha, na sede social do Clube Naval, no Rio de Janeiro, no dia 31 de janeiro.

O filme tem dois minutos e está sendo divulgado nas mídias sociais da Academia Brasileira de Ciências e da Marinha do Brasil. O objetivo é informar a sociedade sobre a importante contribuição do Almirante Álvaro Alberto para o desenvolvimento tecnológico e científico do País.

Na ocasião, os convidados assistiram ainda a uma exposição com algumas peças do acervo pessoal do Almirante.

Biografia do Almirante Álvaro Alberto
Nascido em 22 de abril de 1889, no Rio de Janeiro, formou-se na Escola Naval em 1908 tendo recebido o Prêmio Greenhalg por ter sido o primeiro lugar da sua turma. Serviu nos seguintes navios: Encouraçados “Riachuelo” e “Minas Gerais”, Cruzador “Rio Grande do Sul” e Navio-Escola “Benjamin Constant”.

Em 1911, interessou-se por química dos explosivos e ingressou na Escola Politécnica do Rio de Janeiro a fim de aperfeiçoar-se na área, tendo em seguida concluído a Pós-Graduação na Bélgica. Por tal motivo passou a lecionar a matéria na Escola Naval.
Sua relação com o meio acadêmico brasileiro o levou a ser presidente da Sociedade Brasileira de Química entre 1920 e 1928. Também foi membro e por duas vezes presidente da Academia Brasileira de Ciências.

O Vice-Almirante Álvaro Alberto da Mota e Silva foi o precursor da implantação da energia nuclear no Brasil, tendo sido designado representante do Brasil na Comissão de Energia Atômica da ONU no pós-Segunda Guerra Mundial, obtendo a aprovação de propostas de largo interesse estratégico e científico para a Nação. Dentre as propostas aprovadas se destacou a tese das compensações específicas, segundo a qual os países detentores de matérias-primas nucleares, em vez de receberem compensações financeiras, deveriam ter acesso à tecnologia nuclear.

Álvaro Alberto foi um dos organizadores e primeiro presidente do Conselho Nacional de Pesquisa (CNPq), hoje Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, criado em 1951. Como presidente do CNPq estabeleceu a Política Nacional de Energia Atômica, traçando as metas que levariam ao domínio do ciclo do combustível nuclear.

Por sua inquestionável contribuição ao desenvolvimento da ciência e tecnologia no Brasil, o Vice-Almirante Álvaro Alberto da Mota e Silva foi instituído Patrono da Ciência, Tecnologia e Inovação na Marinha em 31 de janeiro de 2011, através da Portaria do Estado-Maior da Armada nº28.

(CCSM/FM)

Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>