Força Aérea Brasileira faz homenagem aos 60 anos da cidade de Brasília (DF)

É impossível assistir ao presente sem viajar ao passado. Olhar tudo colorido sem se lembrar das imagens em preto e branco. No dia 21 de abril de 1960, a Esquadrilha da Fumaça provocou aplausos e emoção na Esplanada dos Ministérios. Era a nova capital, Brasília, que presenciava a homenagem da Força Aérea Brasileira (FAB), por meio do voo das aeronaves T-6 Texan. Sessenta anos depois, nesta terça-feira (21/04), o Esquadrão de Demonstração Aérea (EDA), nome oficial da Esquadrilha da Fumaça, revive aquele dia histórico e homenageia, em nome da FAB, a capital do Brasil.

Devido às restrições em virtude da pandemia da COVID-19, a homenagem deste ano ocorreu a distância. As aeronaves A-29 Super Tucano da “Fumaça” escreveram BRASÍLIA 60 ANOS no céu de Pirassununga/SP. A escrita ocorreu durante um voo de treinamento dos pilotos.

Em vídeo, o Comandante do EDA, Tenente-Coronel Aviador Marcelo Franklin Rodrigues, gravou uma mensagem especial. “A Força Aérea Brasileira está presente em Brasília desde sua criação, em 21 de abril de 1960. Naquela época, a Esquadrilha da Fumaça já sobrevoava os céus da Capital Federal. Hoje, no aniversário de 60 anos de Brasília, a FAB faz uma homenagem especial à cidade que nasceu com asas. Parabéns, Brasília 60 anos”. A mensagem faz referência ao formato de avião idealizado por Lúcio Costa, vencedor do concurso que buscava um projeto para a nova capital do Brasil.

História

A relação da capital federal com a Força Aérea Brasileira (FAB) vai além das apresentações da “Fumaça”. Em 1956, a bordo de um avião Douglas DC-3 da FAB, o então presidente Juscelino Kubitschek desembarcou no aeroporto Vera Cruz, construído por Bernardo Sayão, próximo ao Eixo Monumental. O local, anos depois, daria lugar à Rodoferroviária. O presidente e sua comitiva chegavam à sede da fazenda Gama para conhecer as terras onde seria erguida a nova capital da República.

Quando a cidade era ainda um canteiro de obras no meio do Centro-Oeste, aeronaves da Força Aérea ajudavam a trazer o material necessário para a concretização do projeto de Lúcio Costa e do arquiteto Oscar Niemeyer. Naquela fase, a participação do Correio Aéreo Nacional (CAN) foi fundamental.

Com a ajuda de aviões da FAB, era possível minimizar os 1.200 quilômetros de distância entre o Rio de Janeiro e Brasília para o translado de insumos de construção. Os aviões do CAN traziam toneladas de materiais, máquinas e apoio humano para o pontapé inicial na construção da nova capital brasileira.

FAB em Brasília

Nos dias atuais, Brasília concentra diversas Organizações Militares da FAB de grande importância no contexto nacional. Na capital federal, além do Comando da Aeronáutica (COMAER), onde são tomadas as decisões estratégicas, estão instalados órgãos destinados à gestão dos serviços prestados pela Força Aérea para a sociedade.

Na cidade encontra-se, também, a Ala 1 – Base Aérea de Brasília, que teve grande importância na construção da Capital do país. Juscelino Kubitschek, por meio do Decreto nº 42.697, de 27 de novembro de 1957, criou o Destacamento da Base Aérea de Brasília, sendo designado como seu Comandante o Major Aviador Francisco de Assis Lopes.

O Destacamento foi a Organização precursora do Ministério da Aeronáutica em Brasília e teve por finalidade o apoio às aeronaves e tripulações da Força Aérea Brasileira que chegavam à região, transportando pessoal e material destinados à obra de construção. Como Organização pioneira, prestou fundamental suporte durante toda a fase de transferência da sede do governo para Brasília, participando de momentos importantes da gênese da cidade e, consequentemente, da história do país.

Confira aqui o vídeo de homenagem da FAB à Brasília.

Fotos: EDA, Sargento Johnson e Soldado T. Amorim / CECOMSAER

(CECOMSAER/FM)

Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>