Força Aérea Brasileira infiltra tropas do Exército na tríplice fronteira

Força Aérea Brasileira infiltra tropas do Exército na tríplice fronteira

Militares realizaram varredura em ilha usada para tráfico de mercadorias

Um helicóptero H-60 Black Hawk da Força Aérea Brasileira (FAB) realizou o transporte de tropas do Exército com objetivo de realizar varredura (inspeção) em uma ilha usada para o tráfico ilegal de mercadorias na tríplice fronteira no Sul do País. A ação foi realizada na madrugada de terça-feira (13) e faz parte das ações da Ágata 11, operação coordenada pelo ministério da Defesa para combater ilícitos nas fronteiras.

TRIPLICE 1

A aeronave do Esquadrão Pantera (5°/8° GAV), sediado em Santa Maria (RS), realizou o transporte de 28 militares da 2ª Brigada de Cavalaria Mecanizada (2ªBda C Mec) do Exército Brasileiro.

Com aproximadamente 2 km de extensão, a Ilha Brasileira está localizada na foz do rio Quaraí, entre os municípios de Barra do Quaraí, no Brasil, Monte Caseros, na Argentina, e Bella Unión, no Uruguai. Os militares foram infiltrados para cumprirem missão de varredura na ilha, que é utilizada constantemente para tráfico, onde o acesso só é possível por via aérea ou fluvial.

TRIPLICE 2

A aeronave decolou de Uruguaiana por volta das 6h da manhã. Uma hora e meia antes do nascer do sol na região. Para cumprir a missão a tripulação da FAB utilizou óculos de visão noturna (Night Vision Goggles – NVG). “A infiltração foi bem antes do nascer do sol, não seria possível realizar sem o uso de NVG. A Ilha tem vegetação alta e o pouso foi feito em uma área restrita”, descreve o Oficial de Operações do Esquadrão Pantera, Major Ivan Fernandes Faria. A exfiltração dos militares do Exército foi realizada pelo helicóptero H-60 Black Hawk na quarta-feira (15).

Operação Ágata

A ação conjunta da FAB e do EB demonstra o uso conjunto das capacidades de cada instituição, principal característica da Ágata 11. Um dos objetivos da operação é intensificar a presença do Estado brasileiro junto à faixa de fronteira, com países sul-americanos, contribuindo para o combate de ações ilegais como contrabando, tráfico de drogas, de pessoas, de armas, entre outros. Os agentes federais e estaduais realizam o combate contra crimes transfronteiriços como narcotráfico, contrabando e descaminho, tráfico de armas e munições, crimes ambientais, imigração e garimpo ilegais, entre outros ilícitos. O teatro de operações engloba 710 municípios, sendo 122 limítrofes, e conta também com a atuação da Marinha e do Exército, além de profissionais de agências governamentais e órgãos federais, estaduais e municipais, envolvendo mais de 11 mil pessoas.

(CECOMSAER/ FM)

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *