Força Expedicionária Brasileira é reverenciada durante comemorações do Dia da Liberação na Itália

Montese (Itália) – Os italianos reverenciam o 25 de abril como o “Dia da Liberação”, momento em que o país foi libertado do domínio nazifascista, no final da Segunda Guerra Mundial, em 1945. Assim como em toda a nação, a data foi celebrada na cidade de Montese, com lugar de destaque para o Brasil. Até hoje, os feitos da Força Expedicionária Brasileira (FEB) para a restauração da democracia naquela e em outras localidades das Regiões da Toscana e Emília-Romagna são recordados pela população.

Foi lá que a comitiva do Exército Brasileiro, presente na Itália para as comemorações da Campanha da FEB, encerrou o ciclo de uma semana de atividades. A delegação acompanhou um cortejo, integrado por autoridades e diversos segmentos civis e militares locais, que percorreu as ruas da cidade. Em cada monumento em honra aos combatentes e vítimas da Primeira e Segunda Guerras Mundiais, houve cerimônias, com a aposição de coroas de flores e leitura de textos alusivos, tendo grande participação popular.

Uma das paradas mais significativas ocorreu no Largo Brasile, batizado em referência ao papel desempenhado pelo Brasil para a libertação de Montese. A cidade tem lugar especial na trajetória da FEB durante a Seguna Guerra Mundial, por ter sido palco de uma das batalhas mais sangrentas contra as forças nazistas, praticamente de casa em casa, entre 14 e 18 de abril de 1945. No local, em 1995, foi inaugurado um monumento em homenagem à FEB, cujo esforço foi lembrado pelo prefeito da cidade, Luciano Mazza: “é nosso dever transmitir às gerações mais jovens a história dos bravos militares brasileiros, que vieram de um país distante para lutar pela nossa liberdade. É uma história que deve ser mantida viva”.

O evento contou com as presenças de autoridades brasileiras, como o Ministro da Defesa, General de Exército Joaquim Silva e Luna; o Ministro-Chefe do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, General de Exército Sérgio Westphalen Etchegoyen; do Embaixador do Brasil na Itália, Antonio de Aguiar Patriota; e do General de Exército João Camilo Pires de Campos, representando o Comandante da Força.

Sargento Max Wolff Filho

Todas essas autoridades também estiveram presentes em uma cerimônia realizada mais cedo, na localidade de Riva de Biscia, próxima a Montese. Lá existe um monumento em memória do Sargento Max Wolff Filho, herói da FEB morto pelo fogo inimigo durante uma patrulha, no dia 12 de abril de 1945. Durante a ação, o Soldado Alfredo Estevam da Silva tentou socorrer seu Comandante de fração e também acabou tombando, sem vida.

Conhecido como “Rei dos Patrulheiros”, pela coragem e destemor em ação, Max Wolff transformou-se em uma das figuras mais emblemáticas da Campanha da FEB. Atualmente, empresta seu nome à Escola de Sargento das Armas (Três Corações/MG) e ao 20º Batalhão de Infantaria Blindado (Curitiba/PR); além de nomear uma medalha de reconhecimento a serviços prestados por subtenentes e sargentos, servindo como perene exemplo de honra e dedicação à Pátria.

(CCOMSEX/FM)

Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>