Forças Armadas e Polícia Rodoviária Federal reforçam fiscalização em vias federais de acesso ao Rio de Janeiro

Forças Armadas e Polícia Rodoviária Federal reforçam fiscalização em vias federais de acesso ao Rio de Janeiro

Brasília (DF) – Aproximadamente três mil militares das Forças Armadas deram início na quinta-feira (25) a uma nova fase da Operação Rio de Janeiro, com pontos de bloqueio e fiscalização em todas as rodovias federais que dão acesso ao estado. A ação é feita em coordenação com a Polícia Rodoviária Federal e com a Força Nacional de Segurança Pública no âmbito do Plano Nacional de Segurança Pública 2018. Em entrevista coletiva realizada hoje no final da manhã , o ministro da Defesa, Raul Jungmann, explicou que atuação dos militares será feita de forma aleatória para surpreender criminosos, que, após uma intensificação de ações da PRF mudaram a forma de atuação nas estradas e precisam ser coibidos com ações direcionadas pelo setor de Inteligência.

Essa nova etapa da operação faz parte de um protocolo de intenções firmado entre os governos federal e estadual, com o objetivo de coibir ilícitos como tráfico de drogas e de armas, além de roubo de cargas em rodovias federais, consideradas as principais rotas de acesso para crimes desta natureza.

O ministro da Defesa Raul Jungmann destacou ainda que o próximo passo do apoio das Forças Armadas em apoio à Operação Rio deverá ser no sentido de coibir ilícitos em vias marítimas.

“Vamos agir sempre de surpresa e não haverá prazo para término das ações. Enquanto houver GLO [garantia da lei e da ordem] no Rio de Janeiro, que será até o final deste governo, esta será uma ação permanente”, disse.

O chefe do Estado Maior-Conjunto das Forças Armadas (EMCFA), almirante Ademir Sobrinho, explicou que os militares da Marinha, do Exército e da Aeronáutica envolvidos na ação darão apoio ao trabalho das polícias judiciárias, como PRF e Polícia Federal. “As ações que iniciamos hoje vão contribuir na redução dos índices de roubo de carga nas vias federais e inibir o trafico ilícito de drogas e armas para o Rio de Janeiro”, afirmou. “Faremos patrulhas nas principais vias e pontos de bloqueio nos locais mais críticos levantados pela Inteligência”, completou o almirante.

Essa ação das Forças Armadas é um reforço à Operação Égide, realizada pela Polícia Rodoviária Federal em rodovias federais que cruzam estados de fronteira (Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e Mato Grosso do Sul); nos grandes corredores rodoviários (Goiás, São Paulo e Minas Gerais); e no Rio de Janeiro, no âmbito do Plano Nacional de Segurança Pública.

O diretor-geral substituto da PRF, Marcelo Moreno, destacou que todas as ações conjuntas seguem as orientações dos Ministérios da Justiça e Segurança  e da Defesa, além do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República (GSI).

“A Operação Égide, iniciada em julho do ano passado, já conseguiu resultados significativos e, agora, com o apoio das Forças Armadas e da Força Nacional de Segurança Pública, poderemos atuar com ainda mais assertividade nesses pontos críticos, que são os chamados cinturões metropolitanos, de divisa e de fronteira”, explicou.

Além dos três mil militares, a atuação das Forças Armadas nesta operação contará com o apoio de veículos blindados e aeronaves. Os espaços aéreos poderão ser controlados oportunamente com restrições dinâmicas e temporárias nas áreas sobrepostas aos locais de atuação das Forças Armadas.

Foto: Tereza Sobreira/MD

(MD ASCOM/FM)

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *