Forças Armadas iniciam operação de vistoria em presídio de Roraima

Forças Armadas iniciam operação de vistoria em presídio de Roraima

As Forças Armadas iniciaram na sexta-feira (27), a varredura no Presídio Agrícola Monte Cristo, em Boa Vista, estado de Roraima. O anúncio da operação foi feito pelo ministro da Defesa, Raul Jungmann, em entrevista coletiva no II Comando Aéreo Regional (COMAR), no Recife (PE). Segundo Jungmann, 335 militares, divididos em 33 equipes, estão vasculhando as instalações da penitenciária.

A entrevista coletiva ocorreu na sede do II COMAR, com a presença de autoridades do Exército e da Aeronáutica
A entrevista coletiva ocorreu na sede do II COMAR, com a presença de autoridades do Exército e da Aeronáutica

“A operação começou às 6h. Tropas do Batalhão de Choque retiraram os presos de um dos pavilhões, para que os militares das Forças Armadas pudessem iniciar a busca por armas, munições, drogas e qualquer objeto que tem servido para potencializar e multiplicar as tragédias nos presídios brasileiros”, disse.

A expectativa é de os militares realizarem a varredura nas quatro alas da unidade prisional até o fim do dia. Mas se isso não for possível, segundo Jungmann, os trabalhos podem ser retomados nos dias seguintes. De acordo com o ministro, as tropas enviadas para Boa Vista são de outros estados, por questão de segurança. Além disso, ficou condicionado que as Forças Armadas não terão qualquer contado com os presos.

Monte Cristo

A varredura no Presídio Monte Cristo foi cercada de sigilo. Os militares foram deslocados para Roraima durante a madrugada. Quando o dia amanheceu, 250 policiais militares e agentes penitenciários mudaram os presos de um dos quatro pavilhões para o setor de banho de sol. Em seguida, as equipes das Forças Armadas entraram no pavilhão vistoriando paredes, telhados, grades e piso do local.

“Eles utilizam aparelhos de raio X modernos, que foram adquiridos para as varreduras em estádios de futebol e arenas esportivas, durante a Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos e Paralímpicos”, contou o ministro.

Até o início da tarde, dois pavilhões tinham sido vasculhados. O ministro informou que até o fim do dia será divulgado balanço daquilo que foi encontrado na unidade prisional. Segundo ele, toda a operação segue orientações do presidente Michel Temer.

“A atuação nos presídios, conforme determinou o senhor presidente da República, é que façamos uma vistoria completa desses presídios”, afirmou.

Jungmann contou que presídios de outros estados devem passar por varreduras. São eles: Amazonas, Rio Grande do Norte e Mato Grosso do Sul. Ele explicou que os militares só entrarão em presídios que não apresentem riscos de rebelião ou qualquer tipo de conflito. “Nós estamos em operação de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) em Natal. No presídio de Alcaçuz só entraremos quando tivermos informações do serviço de inteligência de que não há risco de acontecer qualquer choque com os detentos”, disse.

O ministro informou que para a atuação das Forças Armadas nos presídios é preciso que o governador faça a solicitação ao presidente da República. Em seguida, o presidente edita o decreto autorizando a medida. Cabe ao Ministério da Defesa, por meio do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA) fazer o planejamento e a execução da operação.

Fotos: Sd Mike Allen/ II COMAR

(MD ASCOM/ FM)

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *