FRAGATA “CONSTITUIÇÃO” É O NOVO FLAG SHIP DA FTM-UNIFIL

FRAGATA “CONSTITUIÇÃO” É O NOVO FLAG SHIP DA FTM-UNIFIL

O Comandante da Força-Tarefa Marítima da Força Interina das Nações Unidas no Líbano (FTM-UNIFIL), Contra-Almirante Walter Eduardo Bombarda, presidiu, no dia 13 de agosto, a cerimônia de transferência de Navio-Capitânia da FTM da Fragata “Liberal”( 43) para a Fragata “Constituição” (F42).

FRAGATA CONTITUICAO

Durante o evento, que ocorreu no porto de Beirute, houve a incorporação da tripulação da Fragata “Constituição” à Missão da ONU, a passagem do estandarte das Nações Unidas para o Comandante da Fragata “Constituição” , Capitão-de-Fragta Alexandre Taumaturgo Pavoni, e, finalmente, a desincorporação da tripulação da Fragata “Liberal” da UNIFIL, após sete meses a serviço da ONU no Líbano.

Atualmente, além da fragata brasileira, a FTM-UNIFIL conta com a participação de dois navios alemães, dois de Bangladesh, um da Grécia, um da Indonésia e dois da Turquia. Dentre as tarefas da FTM, estão: evitar o contrabando de armamento pelo mar, por meio de Operações de Interdição Marítima; e auxiliar na formação da Marinha Libanesa, capacitando seu pessoal a fim de que ela possa controlar suas águas territoriais em futuro próximo.

A FTM da Força Interina das Nações Unidas no Líbano foi criada em 2006 de acordo com a Resolução 1.701/2006 do Conselho de Segurança das Nações Unidas, em atendimento à solicitação do Governo Libanês. Como um marco histórico para o Brasil no contexto das Operações de Paz, desde 14 de novembro de 2011, o Comandante da Força é um militar da Marinha do Brasil. Outro fator de grande relevância, é ser a FTM o único braço marítimo da ONU.

Ao assumir o comando da Fragata “Constituição”, na cidade do Rio de Janeiro, no dia 7 de julho, o CF Pavoni ciente da responsabilidade que estava por vir, proferiu um discurso emocionado, cujo extrato pode ser lido:

“Iniciaremos a Operação Líbano VI, comissão com duração prevista de 8 meses e meio, nas longínquas águas do Mar Mediterrâneo no Oriente Médio, quando este navio terá a oportunidade de, pela segunda vez, compor uma força tarefa marítima multinacional, em missão de paz, sob a égide da Organização das Nações Unidas. Os inerentes desafios e responsabilidades são enormes, mas não se comparam à grandeza da vontade e da determinação de bem cumprir essa desafiadora missão”.

O término da missão da Fragata “Constituição” no Líbano e o seu retorno ao Rio de Janeiro está previsto para abril de 2015.

(Carla Daniel B. Peixoto/ FM)

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *