Futura fábrica de aeroestruturas do Gripen NG é apresentada à FAB

Saab Aeronáutica Montagens produzirá seis segmentos para o caça brasileiro

Uma comitiva da Força Aérea Brasileira esteve, nesta quarta-feira (09/05), visitando as instalações da futura fábrica de aeroestruturas do caça Gripen: a Saab Aeronáutica Montagens (SAM), situada em São Bernardo do Campo (SP). Estavam presentes representantes da Diretoria de Material Aeronáutico e Bélico (DIRMAB), da Comissão Coordenadora do Programa Aeronave de Combate (COPAC), do Comando Geral de Apoio (COMGAP) e da Diretoria de Infraestrutura da Aeronáutica (DIRINFRA).

A SAM será responsável por produzir complexos segmentos para os caças Gripen adquiridos pela Força Aérea Brasileira (FAB) como o cone de cauda, os freios aerodinâmicos, o caixão das asas, a fuselagem traseira e a fuselagem dianteira para a versão monoposto (um assento) e a versão biposto (dois assentos).

“Até 2020 toda a estrutura fabril estará montada para dar início à fabricação dos componentes do Gripen”, explica Marcelo Lima, diretor-geral da SAM.

A empresa vai começar as operações em 2020 com 55 funcionários, entre engenheiros e técnicos, que serão capacitados em Linköping, na Suécia – sede da SAAB, por até 24 meses, a fim de receber todo o treinamento necessário para o processo de industrialização, qualificação e montagem de fuselagens complexas, específicas para a produção de um caça supersônico no Brasil. O objetivo é somar mais de 84 mil horas de treinamento para os funcionários da unidade no Brasil.

Até 2024, a SAM estará com cerca de 200 funcionários capacitados e produzindo as aeroestruturas que serão fornecidas para a montagem final dos caças.

Transferência de Tecnologia

O início do funcionamento da Saab Aeronáutica Montagens é um passo importante do Programa Gripen no Brasil, que terá duração de 32 meses. Desde a assinatura do contrato de aquisição de 36 caças, em outubro de 2014, já estava previsto um Programa de Transferência de Tecnologia para o Brasil, que deve fornecer à indústria aeroespacial brasileira, a tecnologia e o conhecimento necessários para manter e desenvolver o Gripen no país.

Quatro áreas estão sendo contempladas, como treinamento teórico, programas de pesquisa e tecnologia, treinamento on-the-job, na Suécia, e desenvolvimento e produção.

“Estamos transferindo conhecimento e capacidade de produção de aeroestruturas complexas para o Brasil, cumprindo nosso acordo de offset. A fábrica já está se estruturando para fazer parte de uma cadeia global de suprimentos da Saab para os mercados de aviação civil e de defesa”, explica Mikael Franzén, chefe da unidade de negócios Gripen Brasil.

Em novembro de 2016, o Centro de Projetos e Desenvolvimento do Gripen (GDDN) foi inaugurado em Gavião Peixoto (SP). A unidade vai se tornar o hub de desenvolvimento tecnológico do Gripen no Brasil para a Saab e a Embraer, junto às empresas e instituições parceiras.

Atualmente, cerca de 25 engenheiros brasileiros de empresas parceiras estão sendo treinados nas instalações da Saab, na Suécia, e mais de 140 profissionais já retornaram ao Brasil. A maioria deles está trabalhando no desenvolvimento da aeronave no GDDN.

Até 2024, mais de 350 profissionais brasileiros, entre engenheiros, operadores, técnicos e pilotos das empresas parceiras da Saab e da Força Aérea Brasileira participarão de cursos e treinamento on-the-job na Suécia. Habilidades e conhecimentos serão adquiridos pela indústria brasileira, possibilitando um extenso trabalho de desenvolvimento e produção do Gripen, incluindo a montagem final de aeronaves no Brasil. O programa de transferência de tecnologia é composto por mais de 50 projetos-chave, com duração de até 24 meses.

Fotos: Saab

(CECOMSAER/FM)

Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>