Hospital de Presidente Prudente (SP) é credenciado para assistência de alta complexidade em oncologia

Hospital de Presidente Prudente (SP) é credenciado para assistência de alta complexidade em oncologia

O Hospital Regional do Câncer de Presidente Prudente (SP) agora está credenciado como Unidade de Assistência de Alta Complexidade em Oncologia (Unacon) pelo Ministério da Saúde. O hospital oferece serviços como de hematologia, oncologia pediátrica e radioterapia custeados diretamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

O investimento do Ministério da Saúde é de R$ 7,8 milhões por ano. O Presidente da República, Jair Bolsonaro, e o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, visitaram neste sábado (31) a unidade que mudou o nome para Hospital de Esperança e atende pacientes de municípios de São Paulo e até de outros estados.

“Esse ato, essa assinatura, abre horizontes, para que o hospital possa melhor se preparar, melhor se equipar”, afirmou o Presidente. “Isso que foi feito não é virtude. É obrigação nossa”.

Reforço no atendimento

O credenciamento do Hospital de Esperança reforça o atendimento via SUS na instituição que já conta com 122 leitos custeados pelo Ministério da Saúde, dos quais 22 são de UTI, 50 são leitos cirúrgicos e 50 leitos clínicos. O novo serviço soma-se a outras ações da rede pública que já são realizadas no hospital.

Apenas nos primeiros seis meses deste ano, o Hospital de Esperança realizou quase 40 mil atendimentos. Uma delas é a advogada Beatriz de Oliveira, de 25 anos, que foi diagnosticada com um linfoma no ano passado. Ela percebeu um inchaço persistente na região do pescoço e procurou um médico que descobriu nódulos no local. Beatriz então foi atendida no Hospital Esperança, fez todo o tratamento de forma gratuita e agora tem o acompanhamento da instituição.

“Logo que fiz ultrassom e o médico me disse o que poderia ser, já tive o encaminhamento para o hospital do câncer. Todo meu diagnóstico foi aqui. Fiz uma bateria de exames, a cirurgia de biopsia também foi aqui. Fiz a quimioterapia e radioterapia preventiva também e sigo em acompanhamento no hospital”, relatou.

Atendimento oncológico especializado

A habilitação como como Unidade de Assistência de Alta Complexidade em Oncologia faz parte da Política Nacional de Prevenção e Controle do Câncer que, desde 2013, prevê o cuidado integral de forma regionalizada e descentralizada a pacientes com câncer pelo SUS. Também fazem parte da política os Centros de Assistência de Alta Complexidade em Oncologia (Cacon). De acordo com o Instituto Nacional de Câncer, são 317 unidades e centros de assistência habilitados no tratamento do câncer em todos os estados brasileiros.

“Os hospitais nascem da bondade dos que sentem para atender os anseios dos que sofrem. E viverão para sempre pelo esforço de todos nós para curar, para aliviar e para confortar”, disse Queiroga.

Tanto as unidades quanto os Cacons devem oferecer assistência especializada e integral ao paciente atuando no diagnóstico, estadiamento e tratamento, incluindo cirurgias oncológicas, quimioterapia, radioterapia e cuidados paliativos.

(PLANALTO/FM)

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *