I Conferência Especializada em Operações Interagências do XXXI Ciclo da CEA

I Conferência Especializada em Operações Interagências do XXXI Ciclo da CEA

Foz do Iguaçu (PR) – Entre os dias 4 e 8 de maio, realizou-se a I Conferência Especializada em Operações Interagências do XXXI Ciclo da Conferência dos Exércitos Americanos (CEA). A CEA é uma organização militar internacional que reúne 20 países membros¹, 5 países observadores² e 2 organismos militares observadores³. As Operações Interagências, tema do encontro que recebeu 15 dos 20 países membros, são as operações que envolvem as Forças Armadas e agências governamentais e não governamentais.

CONFERENCIA 5A abertura do evento foi realizada pelo 5º Subchefe do Estado-Maior do Exército e Presidente da I Conferência Especializada em Operações Especiais, General de Brigada Joarez Alves Pereira Junior. O Comandante da 5ª Divisão de Exército, General de Divisão Luiz Felipe Kraemer Carbonell, ressaltou, durante a abertura, que “a cidade de Foz do Iguaçu representa a união e a integração entre os países por estar na tríplice fronteira do Brasil com Paraguai e Argentina”.

CONFERENCIA 4

O Comandante Militar do Planalto, General de Divisão Racine Bezerra Lima Filho, iniciou os trabalhos proferindo a palestra “Operações Interagências com ênfase em Operações Especiais”. Em seguida, apresentações de oficiais do Exército Brasileiro abordaram a cooperação civil-militar em operações interagências e a experiência com as Operações Ágata como exemplo bem-sucedido de atuação interagências.Rafael Donzan, da Receita Federal, destacou que as parcerias institucionais, como as com o Exército, possibilitam o cumprimento de sua missão, e o Dr Emerson Rodrigues, da Polícia Federal, trouxe a experiência exitosa das operações interagências na Copa do Mundo 2014. O Tenente-Coronel Ignacio Gárcia Bunster, do exército chileno, encerrou as palestras, mostrando a prática do Chile em operações interagências durante catástrofes na região de Arica e Parinacota, assolada, recentemente, por terremoto de grande magnitude.

CONFERENCIA 2

No segundo dia, as delegações foram divididas em dois grupos de trabalho, com o objetivo de estudar o emprego dos exércitos no ambiente interagências e trocar conhecimentos e vivências com relação às operações interagências.

No terceiro dia do evento, foram apresentadas as conclusões, dentre as quais destaca-se que os exércitos são peças fundamentais no trabalho interagências, principalmente pela capacidade de agir em situações de emergência e de segurança.

CONFERENCIA 1

Devido à importância do tema, um grupo de trabalho formado, inicialmente, por Argentina, Brasil, Chile, Estados Unidos da América, Peru e República Dominicana aprofundará o tema “Operações em Ambiente Interagências”, na Conferência Especializada, a ser realizada em agosto deste ano, no Chile.

CONFERENCIA 3

1 Países membros: Antígua e Barbuda, Argentina, Bolívia, Brasil, Canadá, Chile, Colômbia, El Salvador, Equador, Estados Unidos da América, Guatemala, Honduras, México, Nicarágua, Paraguai, Peru, República Dominicana, Trinidad e Tobago, Uruguai e Venezuela.

2 Países observadores: Barbados, Belize, Jamaica, Guiana e Suriname.

3 Organismos militares observadores da Conferência: Junta Interamericana de Defesa e Conferência das Forças Armadas Centro-Americanas.

(CCOMSEX/ FM)

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *