Iniciativa que facilita transporte de órgãos é uma das vencedoras de prêmio da ENAP

Ação desenvolvida no Centro de Gerenciamento da Navegação Aérea busca aumentar capilaridade por meio de voos

Uma iniciativa que tem como protagonista o Centro de Gerenciamento da Navegação Aérea (CGNA), unidade do Comando da Aeronáutica responsável por buscar o equilíbrio entre a demanda e a capacidade do fluxo de tráfego aéreo no Brasil, foi uma das vencedoras do 20° Concurso Inovação na Gestão Pública Federal. A premiação busca valorizar as equipes de servidores públicos que se dedicam a repensar as atividades cotidianas que gerem melhoria na gestão das organizações públicas.

ORGAOS 1

A seleção promovida pela Escola Nacional de Administração Pública (ENAP) em parceria com o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) escolheu 11 iniciativas, incluindo o destaque sustentabilidade. A definição ocorreu na terça-feira (01/12), durante reunião do Comitê Julgador, composto por especialistas em gestão, servidores públicos e acadêmicos com atuação reconhecida.

A iniciativa “Facilitação e Ampliação do Acesso Gratuito ao Transporte Aéreo de Órgãos, Tecidos e Equipes para Transplantes” foi indicada ao prêmio pela Secretaria de Aviação Civil (SAC) da Presidência da República. A ação consiste em aumentar a capilaridade na distribuição de órgãos para transplante no Brasil por meio da disponibilização de voos e facilitação de todas as etapas envolvidas no processo de transporte aéreo de órgãos a serem transplantados e conta, inclusive, com um enfermeiro plantonista do Sistema Nacional de Transplantes (SNT) disponível 24 horas no CGNA para agilizar a logística de distribuição de órgãos.

A atividade teve início após um Acordo de Cooperação Técnica ter sido assinado em dezembro de 2013. O acordo, capitaneado pelo Ministério da Saúde, foi firmado entre o Comando da Aeronáutica (COMAER), a Secretaria de Aviação Civil (SAC), a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (INFRAERO) e a Associação Brasileira das Empresas Aéreas (ABEAR).

ORGAOS 2

“Efetivamente aumentou o número de órgãos aproveitados depois da assinatura dessa cooperação exatamente porque organizou esse fluxo com as companhias aéreas e com o CGNA”, explicou a representante do SNT, Railda Costa Rufo.

O tempo é um fator fundamental para o transporte, pois cada órgão possui determinada quantidade de horas até que deixe de ser transplantável. No ano de 2014, 2.486 dos 23.226 órgãos transplantados em todo o Brasil foram transportados por avião, o que representa 10,7% do total.

Como funciona

Quando existe disponibilidade, segundo as normas do SNT, o órgão é oferecido, inicialmente, para um receptor dentro do mesmo estado da federação. Não havendo um receptor compatível, começa a procura por um doador em todo o território nacional.

ORGAOS 3

Nos casos em que existe a necessidade de realizar o transporte aéreo, entra em ação o enfermeiro plantonista do SNT no CGNA. São realizadas gestões necessárias junto aos representantes das empresas aéreas, também presentes no CGNA, que atuam no processo de Tomada de Decisão Colaborativa (CDM, do inglês Collaborative Decision Making).

Os controladores de tráfego aéreo são, então, notificados de que determinada aeronave transporta órgão. Com essa informação, a aeronave terá prioridade em todas as fases do voo, visando diminuir o tempo de chegada no destino final.

Saiba mais sobre o prêmio

A classificação final e o destaque em sustentabilidade serão divulgados na solenidade de premiação, prevista para março de 2016, quando os prêmios serão conhecidos e as equipes responsáveis pelas iniciativas apresentarão suas práticas inovadoras ao público. Durante o evento, será lançado livro contendo os relatos das inovações premiadas e anunciada a 21ª edição do concurso.

As experiências vencedoras mais bem colocadas serão contempladas com visitas técnicas internacionais, com o objetivo de propiciar o intercâmbio de conhecimentos e experiências com governos estrangeiros.

Os demais projetos premiados receberão assinatura anual da Revista do Serviço Público (RSP); publicações da Escola; certificados para os integrantes das equipes; livro publicado pela Enap com os relatos das iniciativas vencedoras; divulgação no Banco de Soluções (disponível no site do concurso) e no Repositório Institucional da Enap; além de Selo Inovação, a ser utilizado nos materiais de divulgação da iniciativa.

Assista no vídeo abaixo à entrevista com a representante do Sistema Nacional de Transplantes e com o avaliador da ENAP, Trajano Tavares Quinhões:

(CECOMSAER/ FM)

Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>