ITA inaugura laboratório de computação voltado a energias renováveis

ITA inaugura laboratório de computação voltado a energias renováveis

Em parceria com a Petrobras, laboratório objetiva simular a eficácia de tecnologias inovadoras antes da realização de investimentos

O Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) conta, agora, com mais um centro de estudos para o desenvolvimento de pesquisas de ponta. O Laboratório de Computação em Fenômenos de Transporte, desenvolvido em parceria com a Petrobras, possui mais de mil metros quadrados de área construída. O objetivo é desenvolver soluções ligadas à produção de energias renováveis por meio da chamada “prototipação visual”, ou seja, as tecnologias vão ser testadas em ambiente virtual antes que haja investimentos em protótipos ou plantas piloto.

ITA 1

Segundo explica um dos responsáveis pelo local, professor Marcelo de Lemos, o ITA foi uma das cinco instituições de ensino brasileiras escolhidas pela Petrobras para compor uma rede de pesquisadores nessa área. A infraestrutura montada pela estatal, na ordem de R$ 3 milhões, ficará para o Instituto.

“O laboratório tem como missão dar suporte computacional a atividades de pesquisa envolvendo processos de transferência de calor e massa. Existe, em nosso País, um grande incentivo para o desenvolvimento de estudos que utilizem energias renováveis, especialmente a chamada energia heliotérmica. Ela consiste na coleta de energia térmica do sol para substituir a queima de combustíveis fósseis, inclusive para a geração de energia elétrica”, explica o professor Lemos.

Segundo Ismael Santos, representante da Petrobras, o setor de óleo e gás tem muitas aplicações que demandam diversas áreas de conhecimento, as quais são de domínio do ITA. “O intuito dessa parceria é aumentar a colaboração e a integração, aprimorando as tecnologias e os recursos para as tomadas de decisão”, disse.

ITA 2

O novo laboratório deve reunir alunos e pesquisadores de todos os níveis de experiência acadêmica, desde iniciação científica até pós-doutorado. “Assim como o Pró-alcool deu ao Brasil a posição de vanguarda mundial no uso de biomassa no setor energético, temos agora a chance de novamente entrarmos para um seleto grupo de países que utilizarão a energia gratuita do sol na substituição de combustíveis fósseis para diversas finalidades”, avalia o professor.

(CECOMSAER/ FM)

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *