Mais de 100 empresas foram fiscalizadas pela 5ª Região Militar no Paraná e Santa Catarina

Curitiba (PR) – Para desencadear a fiscalização do comércio de explosivos nos estados do Paraná e Santa Catarina, o Exército Brasileiro, por intermédio do Serviço de Fiscalização de Produtos Controlados da 5ª Região Militar (SFPC/5), realizou a Operação Rastilho IV, com apoio de helicóptero e viaturas de fiscalização.

A Operação, que teve como objetivo intensificar as atividades de fiscalização de explosivos e produtos correlatos, vistoriou 101 empresas que fabricam, transportam, armazenam e utilizam os explosivos, como é o caso de pedreiras.

Cerca de 72 militares do Exército Brasileiro, acompanhados de agentes dos Órgãos de Segurança Pública e de fiscalização, percorreram mais de 12 mil km de estradas. Houveram duas apreensões e oito empresas autuadas por irregularidades administrativas nas cidades de Colombo, Sengês, Pien, Reserva, no Paraná; e em Concórdia, Xanxerê, Brusque e Águas Frias, em Santa Catarina.

Pela primeira vez, foi utilizado um helicóptero, do Grupamento de Operações Aéreas (GOA) da Polícia Civil do Paraná, que acompanhou o transporte de cargas explosivas e detonações que estavam agendadas no SFPC/5 com objetivo de verificar as informações cadastradas no sistema e utilização correta do produto controlado. Equipes da Delegacia de Explosivos, Armas e Munições (DEAM), Polícia Rodoviária Federal do Paraná, Polícia Militar do Paraná, Corpo de Bombeiros, TIGRE e demais Órgão de Segurança Pública também participaram da Operação interagências.

No Brasil

O Diretor de Fiscalização de Produtos Controlados, General de Divisão Luciano José Penna, e os Chefes dos Serviços de Fiscalização de Produtos Controlados das Regiões Militares (SFPC/RM), após análise dos trabalhos de Inteligência e de outros dados operacionais, priorizaram cerca de 750 entidades para serem fiscalizadas na Operação Rastilho IV em todo o Brasil, resultando em um significativo esforço a ser empreendido pelas Operações de Fiscalização de Produtos Controlados, que nunca param. Tais ações de fiscalização têm alcançado, desde 2015, importantes resultados, colaborando decisivamente com o incremento da percepção da segurança pública, no que tange ao uso de Produtos Controlados pelo Exército (PCE) em atividades ilícitas.

(CCOMSEX/FM)

Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>