Warning: mysqli_set_charset(): Error executing query in /var/www/html/folhamilitaronline.com.br/web/wp-includes/wp-db.php on line 792

Mais de 1900 profissionais civis serão contratados pela Comissão de Aeroportos da Região Amazônica

Por meio dos Ministérios da Defesa e da Economia, foi publicada, na sexta-feira (26), Portaria Interministerial que permite a contratação de 1.936 profissionais civis, por tempo determinado, para a Comissão de Aeroportos da Região Amazônica. O objetivo é contratar profissionais de diversas especialidades, com dotação orçamentária específica, para atender a projetos e obras de desenvolvimento de infraestrutura aeroportuária de excepcional interesse público na Região Amazônica.

Dentre as diversas obras a serem realizadas com essa contratação, cabe destacar: reforma e ampliação da infraestrutura aeroportuária nas localidades de Estirão do Equador (AM), Iauaretê (AM), Coari (AM), Carauari (AM) e Lábrea (MA); reforma e ampliação da infraestrutura do Aeroporto de Alcântara, no Maranhão; e obra de cerca operacional e aquisição/instalação de auxílios visuais para o Aeroporto de Eirunepé, no Amazonas.

As contratações impactarão, positivamente, no fortalecimento das atividades de controle e de defesa do espaço aéreo, e da integração do território nacional. Ressalta-se, ainda, que as obras nas quais esses profissionais estarão envolvidos, contribuem para o transporte de pessoas, suprimentos, órgãos, vacinas e urnas eleitorais às comunidades ribeirinhas e áreas de difícil acesso, dentre outros benefícios para as populações atendidas.

Contribuição

A Comara, criada pelo Decreto nº 40.551, de 12 de dezembro de 1956, tem por missão projetar, construir e recuperar aeroportos em regiões de difícil acesso na Amazônia Legal e em outras regiões do País. Dessa forma, contribui “para a soberania nacional e para o desenvolvimento da Região, com sustentabilidade ambiental”.

Desde o início da década de 1950, ao longo dos seus 64 anos, a Comara desenvolveu suas atividades atuando, diretamente, na implantação de uma malha aeroviária na Amazônia. Foi responsável pela construção e pela recuperação de 207 (duzentas e sete) pistas, instalações aeroportuárias e vias públicas.

Para mais informações, confira a portaria publicada.

Por Júlia Campos
Foto:arquivo/FAB

(MD ASCOM/FM)

Share

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *