Mais três atletas da FAB se classificam para as Olimpíadas de Tóquio

Mais três atletas da FAB se classificam para as Olimpíadas de Tóquio

Em menos de uma semana, quando Força Aérea Brasileira (FAB) já contava com a participação de cinco sargentos em três modalidades dos Jogos Olímpicos de Tóquio, atletas do Programa de Atletas de Alto Rendimento (PAAR) da FAB garantiram mais três vagas no Atletismo e na Natação.

A seletiva olímpica de Natação, que ocorreu entre os dias 19 e 24 de abril no Parque Aquático Maria Lenk (RJ), contou com a participação de seis sargentos da FAB, os quais disputaram os primeiros lugares do pódio junto com outros 97 atletas brasileiros, buscando a classificação para as Olimpíadas.

Os sargentos Pedro Henrique Spajari e Gabriel Santos conquistaram suas vagas em três importantes provas olímpicas: 100 metros livres, revezamento dos 100 metros livres e revezamento medley.

No Atletismo, a sargento Fernanda Raquel conquistou a vaga olímpica da prova de Lançamento de Disco, ao participar de uma competição na Califórnia (EUA), com a marca de 64,21 metros no lançamento. Agora, a atleta é a quarta militar da FAB a compor a equipe de atletismo do time brasileiro nos Jogos Olímpicos.

As dificuldades enfrentadas em consequência da pandemia pelo novo Coronavírus não foram poucas e nem todos os atletas fizeram o índice olímpico, premissa básica para receber o passaporte olímpico.  “Esse campeonato foi muito tenso porque dava uma única chance para a vaga olímpica. Foi uma temporada muito difícil, deixei a minha casa, minha família e meus amigos em São Paulo, para morar no Rio de Janeiro. Treinei muito forte todos os dias, para conquistar essas vagas.” disse o Sargento Spajari da natação.

Para o Sargento Gabriel Santos, enfrentar momentos de estresse, tensão e dificuldade tem sido uma constante em sua vida. Para ele, a pressão figura um cenário que o motiva. “A dificuldade faz parte da minha vida, mas não reclamo. Se Deus manda esses problemas, é porque o guerreiro é forte”, disse o atleta, após a conquista da vaga olímpica na prova de 100 metro livres.

A realidade no atletismo brasileiro não é diferente da natação. A Sargento Fernanda Raquel também enfrentou diversas dificuldades por conta da pandemia, como ter que montar uma academia dentro de casa e trocar de treinador. Por causa disso, passou a contar somente com o apoio recebido através do PAAR para pagar despesas com alimentação e moradia, em razão de ter seu vínculo cortado com o clube. “Nesse período, o que me ajudou até hoje, foi o apoio que recebo da Força Aérea Brasileira,” comentou a atleta.

Fotos: Satiro Sodré/Arquivo Pessoal

(CECOMSAER/FM)

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *