Manobra Escolar da AMAN promove Ação Cívico-Social na região de Resende

Manobra Escolar da AMAN promove Ação Cívico-Social na região de Resende

Resende (RJ) – Durante a Manobra Escolar, a Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN) promoveu cinco Ações Cívico-Sociais (ACISO): duas em Nossa Senhora do Amparo (distrito de Barra Mansa), uma em Pedra Selada e uma em Fumaça (distritos de Resende) e uma em Falcão (distrito de Quatis). Alunos da Escola de Saúde do Exército (EsSEx) e da Escola de Sargentos de Logística do Exército (EsLog) realizaram atendimentos médico e odontológico. Mais de 100 militares trabalharam nas atividades.

acao-3

No total, foram 313 atendimentos médicos, 75 odontológicos, além de orientações de higiene bucal e da aplicação de flúor. As especialidades oferecidas foram oftalmologia, urologia, otorrinolaringologia, ginecologia, neurocirurgia, cardiologia, pediatria e dermatologia. Os profissionais também foram às residências, a fim de atender às pessoas com dificuldades de locomoção. O Laboratório Químico e Farmacêutico do Exército (LQFEx) apoiou no fornecimento de medicamentos.

No distrito de Falcão, Vera Lúcia de Fátima foi uma das primeiras a ser atendidas pela ginecologista. E destacou. “Não temos um atendimento desse tipo aqui. Só existe um clínico-geral, uma vez por semana. Precisamos de todos esses profissionais”. O Major Eduardo Schlup, responsável pelas Ações, destacou a receptividade das comunidades. “Assim que a população viu os militares do Exército Brasileiro, foi logo perguntar quais as especialidades oferecidas e procurar pelo atendimento”. Para o oficial, ações como essas estreitam os laços da Força com a população. “A ACISO reforça a mão amiga do Exército. As pessoas ficam emocionadas ao receberem o atendimento médico e odontológico.”

Moradores de todas as idades aproveitaram a oportunidade para se consultarem. A mãe da pequena Gabriele Santos, que estava com febre, levou a filha à pediatria. Já a aposentada Maria Madalena de Oliveira Paiva procurou a dermatologia para cuidar de um problema persistente no pé.

Além da equipe de saúde, a Banda de Música da EsLog ganhou destaque. Houve a promoção de educação musical para alunos de escolas locais e diversas apresentações musicais, atividades aplaudidas pela população.

acao-2

Pela primeira vez na Manobra Escolar, animais foram atendidos durante a ACISO. Médicos veterinários da AMAN realizaram 70 consultas e 50 aplicações de vacinas antirrábicas em cães, gatos e cavalos.

Primeira ACISO

Para muitos alunos do Exército, essa foi a primeira vez em que puderam ajudar a população, confirmando a importância da presença do Exército em locais carentes de serviços básicos. Foi o caso da 3o Sargento-Aluna Caroline de Sousa, da EsLog. “Ter contato com quem realmente precisa de atendimento de saúde e que não tem recursos é uma grande experiência”.

O mesmo sentimento foi compartilhado pela 1o Tenente-Aluna Carolina Nascimento Nunes, da EsSEx. “Ao chegar a um local carente, a receptividade é diferente. Temos o carinho e o reconhecimento da população,” diz. “Faz valer muito a pena o nosso serviço.”

Guerra contra o mosquito aedes aegypti 

A Manobra Escolar 2016 não teve somente combate simulado e ACISO. Nos distritos de Nossa Senhora do Amparo (Barra Mansa), Pedra Selada e Fumaça (Resende) e Falcão (Quatis), o Exército Brasileiro promoveu o combate ao mosquito aedes aegypti, fazendo trabalho intenso com a população e os postos de saúde. O objetivo foi conscientizar e orientar os moradores para a eliminação dos focos do transmissor do zica vírus, dengue e febre chicungunha, doenças que atingem milhões de pessoas no mundo.

Ao todo, quatro mil panfletos e dois mil cartazes foram distribuídos nos quatro distritos, com orientações para a eliminação do mosquito em residências, pontos comerciais e locais públicos. Centenas de repelentes foram entregues, principalmente para as grávidas. A dona de casa Ulede Pasqualina Moreira Silva apoia a ação. “Quanto mais exterminar o mosquito, melhor. É muito bom o Exército participar dessa ação, pois traz retorno para as comunidades.”

A Agente Comunitária de Saúde do distrito de Falcão, Luciana Maria da Silva Azevedo, comenta que o trabalho do Exército “é mais uma força para os moradores. É uma campanha nacional. Ajuda bastante e faz com que as pessoas sintam mais confiança.” E reforça: “Não existe época do ano para combater o mosquito. Isso precisa ser feito diariamente. Todo dia as pessoas devem dedicar 10 minutos para ir ao quintal verificar se há um vasinho, pneus, baldes, calhas e lajes com água parada.”

Maria Madalena de Oliveira Paiva, aposentada, conta que a guerra é de todos. “Fomos bem orientados e as crianças também. Meus netos dizem pra eu ter cuidado com a água nas plantas. Não deixar água no fundo do pratinho e colocar areia.” A moradora aprova o emprego da Força na guerra contra o mosquito. “Para mim, é maravilhoso. Vou fazer propaganda no Brasil inteiro.”

Visita às residências

Quem estava em casa recebeu orientação dos militares do Exército Brasileiro na ação de combate ao aedes aegypti. Foi o caso do Administrador de Fazenda Marco Antonio da Silva Mesquita, que escutou e leu com atenção as orientações. “É muito importante para ajudar a comunidade. Nós precisamos disso aqui no município”, diz. E o conhecimento já está sendo aplicado. “Fazemos de tudo para não deixar vasilhas e pneus com água.”

Os alunos da Escola de Saúde do Exército e da Escola de Sargentos de Logística do Exército apoiaram a ação. “O profissional de saúde orienta a gente”, comenta Rosildo Antonio da Silva, que trabalha com carregamento de carroça. “O trabalho do Exército é uma beleza. A gente ajuda a combater o mosquito fazendo limpeza.”

Marco Antonio Ferreira, Auxiliar de Obras, estava com os amigos quando recebeu os militares: “É muito importante para a população, pois nos ajuda muito. O Exército nos auxilia no combate aos mosquitos”, comemora. Ele aplica os ensinamentos em casa. “Fazemos limpeza de quintal, de caixa d’água, e não deixamos lixos espalhados.”

(CCOMSEX/ FM)

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *