Marinha do Brasil participa do XIV Comitê Naval Operativo entre Brasil e Estados Unidos da América

Marinha do Brasil participa do XIV Comitê Naval Operativo entre Brasil e Estados Unidos da América

O Comando de Operações Navais participou, em 25 de agosto, do XIV Comitê Naval Operativo entre Brasil e EUA, com o propósito de desenvolver e supervisionar a execução de ações bilaterais, sob a forma de Temas de Interesse (TI), visando ao aumento do nível de interoperabilidade da Marinha do Brasil com a Marinha (U.S. Navy), o Corpo de Fuzileiros Navais (U.S. Marine Corps) e a Guarda Costeira (U.S. Coast Guard) dos EUA. A reunião ocorreu virtualmente, em conformidade com os protocolos sanitários adotados durante a pandemia da Covid-19.

Durante a videoconferência, foram discutidos interesses mútuos, intercâmbios de pessoal, troca de informações, memorandos de entendimento, operações e exercícios combinados, o desenvolvimento do conceito de Força-Tarefa Combinada e a criação de um Grupo de Trabalho para o desenvolvimento do conceito do Grupo de Prontidão Expedicionária Multinacional para resposta a ameaças regionais. Neste evento, a Marinha do Brasil também foi convidada para participar dos Exercícios SEA BREEZE 2021, no Mar Negro, e COMPTUEX/JTEFEX 2022.

Nesta edição do comitê, os temas concentraram-se nos seguintes objetivos comuns: Segurança Marítima; Defesa Cibernética; Compartilhamento de informações; Desenvolvimento de tecnologia cooperativa; Apoio de Defesa às Autoridades Civis; Consciência Situacional Marítima; e Interoperabilidade no apoio à segurança regional e global.

A comitiva brasileira, composta por Oficiais do Comando de Operações Navais (ComOpNav) e do Comando-Geral do Corpo de Fuzileiros Navais (CGCFN), foi liderada pelo Subchefe de Operações do ComOpNav, Contra-Almirante Manoel Luiz Pavão Barroso. No lado dos EUA, participaram o Comandante das Forças Navais do Comando Sul dos EUA, Contra-Almirante (USN) Don Gabrielson, o Comandante do 5º Distrito da Guarda Costeira dos EUA, o Contra-Almirante (USCG) Keith Smith, e o Chefe do Estado-Maior das Forças de Fuzileiros Navais do Comando Sul dos EUA, Coronel (USMC) Thomas Euler.

Ao falar do Brasil, o Almirante Gabrielson afirmou que “(…) é um parceiro importante para a Marinha dos Estados Unidos, altamente capacitado e respeitado (…) e, mesmo nesse ambiente desafiador, continuamos trabalhando juntos em novas missões e operações”. Já o Almirante Barroso afirmou que, apesar das limitações impostas pela pandemia, ambas as partes demonstraram a capacidade de interoperabilidade.

(CCSM/FM)

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *