Marinha e Força Aérea apoiam buscas a navio desaparecido

Marinha e Força Aérea apoiam buscas a navio desaparecido

Brasília, 04/04/17 – A Marinha do Brasil (MB) e a Força Aérea Brasileira (FAB) apoiam o Uruguai nas atividades de busca e salvamento (SAR – do inglês, Search And Rescue) no desaparecimento do navio mercante “Stellar Daisy”, de bandeira das Ilhas Marshalls, ocorrido na sexta-feira (31), após pedido de socorro, em águas internacionais. Vinte e duas pessoas estão desaparecidas.

BUSCAS 1

O Comando de Operações Navais, após tomar conhecimento do incidente, disponibilizou a Fragata “Rademaker”, com a missão de apoiar as buscas. O navio da MB possui um helicóptero a bordo e desatracou no dia 1º de abril, do Rio de Janeiro, com previsão de chegada ao local na quinta-feira (06). Desde o início das ações, a Marinha tem acompanhado os desdobramentos e prestado o apoio à Armada do Uruguai, coordenadora das buscas.

A Força Aérea disponibilizou a aeronave P-3 para apoio na segunda-feira (3). O avião, do Esquadrão Orungan (1º/7° GAV), decolou de Salvador (BA) às 11 horas da noite de domingo (2) e tinha autonomia de 12 horas de voo.

BUSCAS 2Durante o apoio, a FAB avistou dois botes salva-vidas. Essa informação foi repassada de imediato às embarcações que fazem as buscas no mar, mas, ainda, não foram encontrados sobreviventes.

“Em nosso trabalho nós buscamos abreviar o sofrimento de quem está precisando ser resgatado”, ressaltou o coordenador das aeronaves brasileiras na missão, tenente Josemar Antônio Sartori.

Outra aeronave da FAB, KC130, do Primeiro Grupo de Transporte de Tropa (1°GTT), sobrevoa hoje a área à procura por tripulantes. O avião decolou às onze e meia da noite de segunda-feira (3), do Rio de Janeiro (RJ), e tem autonomia de voo para cerca de 14 horas e 30 minutos.

A aeronave faz buscas em uma área de 500 milhas náuticas quadradas, o equivalente a 1.715 quilômetros quadrados A tripulação é composta por duas equipes, sendo cada uma com dois pilotos, um mecânico de voo, dois mestres de carga, um rádio operador e quatro observadores SAR.

BUSCAS 3

Caso os observadores avistem alguém, é jogado um kit de sobrevivência, composto por dois botes com capacidade para 20 pessoas cada e três volumes contendo rádio transmissor, água e ração operacional.

O acidente

O cargueiro de nome Stellar Daisy, com 16 filipinos e oito coreanos, desapareceu na tarde de sexta-feira (31/03) e, até o momento, apenas dois tripulantes foram resgatados por um navio que estava próximo ao local. O desaparecimento ocorreu em uma área distante da Costa, a cerca de 3.600 km de Montevidéu e 2.700 km do Rio de Janeiro.

Fotos: CCSM/Marinha do Brasil e Agência Força Aérea/FAB.

(MD ASCOM/ FM)

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *