Médicos estrangeiros e brasileiros são capacitados para atuar na Área de Cuidados instalada na capital de Roraima

Médicos estrangeiros e brasileiros são capacitados para atuar na Área de Cuidados instalada na capital de Roraima

Um total de 162 médicos venezuelanos, cubanos, bolivianos e brasileiros participam de capacitação para atuar na Área de Cuidados. Trata-se de unidade de saúde construída pela Operação Acolhida para atender a população de Roraima acometida pela Covid-19. No domingo (07), ocorreu a aula inaugural da turma, no auditório do Ministério Público de Roraima.

Entre os alunos, estava a médica venezuelana Mares Gregoria Canelones. Emocionada por estar voltando para a área em que é formada, disse estar feliz por trabalhar na tarefa de salvar vidas. Há nove anos graduada e com especialidade em gerência hospitalar, migrou em 2017 para capital amazonense em busca de melhores condições de vida. Após quase desistir da profissão, recebeu o aviso de abertura de vaga para atuar na Área de Cuidados. Somente com o dinheiro da passagem do ônibus de Manaus para a capital roraimense, conseguiu uma vaga. “A Operação Acolhida não tem preço. É uma missão gratificante que nos abre muitas portas no momento que mais se necessita. Sabemos o que é perder a família, morar em outro país. E o atendimento que faremos será com todo o coração”, declarou a médica.

A contratação dos profissionais de saúde integra o Projeto Todos Pela Saúde – Uma Aliança Contra a Covid-19, viabilizado por meio de parceria com o Hospital Sírio-Libanês, Ministério da Saúde e Banco Itaú. O consultor da unidade de saúde José Pereira de Souza informou que a atualização dos profissionais inclui ensino a distância. “Oferecemos nossa capacidade técnica para apoiar as necessidades que cada estado apresentar”, explicou. O Coordenador Operacional da Operação Acolhida, General de Divisão Antonio Manoel de Barros, salientou que esse é um importante passo para a abertura da Área de Cuidados. “Não podemos desperdiçar nenhuma força de trabalho”, disse. Para ele, o esforço em iniciar o atendimento na Área de Cuidados será recompensado salvando vidas.

Para os médicos, principalmente os venezuelanos, incorporar ao corpo clínico da Área de Cuidados é dizer muito obrigado a todos que contribuem para melhorar a qualidade do migrante. É o sentimento que carrega o médico venezuelano Oscar Javier Gonçalves, especialista em médico da família e comunidade “É uma oportunidade para todos nós, para, de alguma forma, agradecer ao Brasil todas as ajudas que dão ao nosso povo, principalmente os mais vulneráveis. E para nós é a oportunidade de demonstrar o nosso conhecimento”, comemorou.

Operação COVID-19

O Ministério da Defesa ativou, em 20 de março, o Centro de Operações Conjuntas, para atuar na coordenação e no planejamento do emprego das Forças Armadas no combate à COVID-19. Nesse contexto, foram ativados dez Comandos Conjuntos, que cobrem todo o território nacional, além do Comando Aeroespacial (COMAE), de funcionamento permanente. A iniciativa integra o esforço do governo federal no enfrentamento à pandemia que recebeu o nome de Operação COVID-19.

Divulgao-768x76.jpg

As demandas recebidas pelo Ministério da Defesa, de apoio a órgãos estaduais, municipais e outros, são analisadas e direcionadas aos Comandos Conjuntos para avaliarem a possibilidade de atendimento. De acordo com a complexidade da solicitação, tais demandas poderão ser encaminhadas ao Gabinete de Crise, que determinará a melhor forma de atendimento.

Com informações da Operação Acolhida
Fotos: divulgação Operação Acolhida

(MD ASCOM/FM)

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *