Ministro da Defesa acompanha ações da Verde Brasil 2, em Rondônia

Ministro da Defesa acompanha ações da Verde Brasil 2, em Rondônia

O Ministro da Defesa, Fernando Azevedo, esteve na quinta-feira (02) na 17° Brigada de Infantaria de Selva, para receber informações sobre o andamento da primeira fase da Operação Verde Brasil. Ele foi recebido pelo Governador de Rondônia, Marcos Rocha; pelo Comandante do Comando Conjunto da Amazônia, General Guilherme Cals Teóphilo; pelo Comandante da Brigada, General Luciano Lima; e por membros da Polícia Rodoviária Federal, Polícia Federal, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (IBAMA), Secretaria de Estado de Desenvolvimento Ambiental, a Sedam, e oficiais militares.

O General Lima fez breve explanação das atividades realizadas pela Operação Verde Brasil 2 até o momento. Ele enfatizou que a missão ocorre com o trabalho integrado de agências. Uma das ações foi a intensificação da fiscalização fluvial, com agentes do Ibama e da Polícia Ambiental do Amazonas.

O Comandante destacou que a Sedam tem o conhecimento para aplicar as multas nas áreas que as Forças Armadas atuam. O Departamento de Estradas e Rodagens (DER) retira a madeira ilegal das madeireiras. “Contamos com o apoio da inteligência da Polícia Federal, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, analistas do Comando Militar da Amazônia, relatórios da Agência Brasileira de Inteligência”, explicou o General. Ele ressaltou, ainda, o apoio de três aeronaves da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros.

Os agentes envolvidos na Operação Verde Brasil fiscalizam madeireiras, realizam medição de madeira e de aplicação de multas, além de patrulhas em unidades de conservação de terras indígenas com acompanhamento da Fundação Nacional do Índio (Funai). “Costumamos dizer que o crime ambiental tem início, meio, fim e deslocamento. A madeira retirada da floresta tem que sair de alguma forma. E só há dois caminhos: estradas, que contam com patrulhamento da Polícia Rodoviária, e rios, onde a Marinha atua. Então, se a gente conseguir bloquear estrada e rio, os caminhões que levam as toras são apreendidos no caminho”, detalhou o General Lima.

A 17ª Brigada de Infantaria de Selva criou o aplicativo Guardiães da Amazônia, que permite a qualquer pessoa denunciar crimes ambientais de desmatamento, queimadas e garimpo ilegal na região. O registro pode ser feito de forma anônima, se o denunciante assim o preferir, precisando apenas informar a localização onde o crime se dá. Para utilizá-lo, basta baixar o aplicativo no celular ou tablet. Até o momento, foram feitos 972 downloads e 164 denúncias.

O Ministro agradeceu os participantes das agências que trabalham em conjunto com as Forças Armadas. “A gente entra com o transporte, a logística e vocês, com a expertise. Em nome do Ministério da Defesa, quero dar os parabéns a vocês pela integração, que torna possível todo esse trabalho”, elogiou.

Em seguida, o Ministro participou de videoconferência com os Comandos Conjuntos da Operação Verde Brasil 2 com o Chefe do Estado- Maior Conjunto das Forças Armadas do Ministério da Defesa, Brigadeiro Raul Botelho. Cada representante de Comando relatou as atividades desenvolvidas em sua área de atuação. “Estamos com resultados expressivos. Foram citados vários aperfeiçoamentos, que aumentaram muito a eficiência do trabalho ”, concluiu Fernando Azevedo.

Audiência
O Ministro ainda participou de audiência com o Governador do Estado, Marcos Rocha. Ele explicou como Roraima vem lidando com a pandemia e citou o sistema de drive-thru para a testagem da população. Os testes rápidos para diagnóstico da Covid-19 são feitos no estacionamento do Palácio Rio Madeira, sede do governo local. “As Forças Armadas tem dado grande apoio à equipe médica que participa dessa ação”, agradeceu o Governador. Na ocasião, Fernando Azevedo entregou a Medalha da Ordem do Mérito da Defesa, no Grau Grã-Cruz, ao Governador Marcos Rocha.

Operação Verde Brasil 2

A Operação Verde Brasil 2 é coordenada pela Vice-Presidência da República, em apoio aos órgãos de controle ambiental e de segurança pública. A missão deflagrada pelo Governo Federal, em 11 de maio de 2020, visa ações preventivas e repressivas contra delitos ambientais na Amazônia Legal. A determinação presidencial para emprego das Forças Armadas em Garantia da Lei e da Ordem (GLO) foi publicada no Diário Oficial da União por meio do Decreto n° 10.341, de 6 de maio de 2020. Em 10 de junho, a GLO foi renovada até 10 de julho, por meio do decreto 10.394.

Para cumprir a determinação presidencial, o Ministério da Defesa ativou três Comandos Conjuntos. São eles: Comando Conjunto Príncipe da Beira (CCj PB), em Porto Velho (RO); Comando Conjunto Barão de Melgaço (CCj BM), em Cuiabá (MT); e Comando Conjunto Marechal Soares de Andrea (CCj MSA), em Belém (PA). Assim como na Operação Verde Brasil ocorrida em 2019, o Centro de Operações Conjuntas do Ministério da Defesa coordena as atividades a partir de Brasília (DF). Ainda participam da missão integrantes da Polícia Federal, Policia Rodoviária Federal, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMbio), Força Nacional de Segurança Pública, Agência Brasileira de Inteligência (ABIN) e Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam).

Por Mariana Alvarenga
Fotos: Alexandre Manfrim

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *