Ministro Jungmann preside primeira reunião do Conselho Acadêmico de Defesa

Brasília (DF) – O Ministro da Defesa, Raul Jungmann, presidiu, na manhã da terça-feira (19), a primeira reunião do Conselho Acadêmico de Defesa. A portaria (Nº4.169/GM/MD) que institui o Conselho foi publicada na quarta-feira (13), no Diário Oficial da União.

O Conselho deverá assessorar o ministro da Defesa em relação a planos, programas, projetos, e atividades de interesse da Defesa, principalmente ligadas à tecnologia e inovação; propor políticas públicas na área de Defesa Nacional; e promover a participação da comunidade acadêmica na formulação de propostas de políticas de Defesa.

Durante o evento, Raul Jungmann destacou importância da criação e atuação do Conselho. “Nós não tínhamos, até então, um colegiado que pudesse refletir, propor, diagnosticar e contribuir para uma política nacional de conhecimento de tecnologia e inovação para a Defesa brasileira e este é o papel do Conselho Acadêmico de Defesa. Sendo assim, a composição dele contempla, basicamente, as Forças Armadas, o setor empresarial, academia e a indústria de defesa”, explicou o ministro.

Na reunião o secretário geral do MD, general Joaquim Silva e Luna, leu a portaria que discorre sobre a criação do Conselho. Também foram propostas a ampliação do Conselho com a inclusão de novos órgãos, entre eles o Ministério das Relações Exteriores (MRE), e a criação de uma Câmara para tratar da inserção de órgãos de fomento.

Sobre o cronograma de atuação para 2018, ficou decidido que um grupo composto por alguns integrantes do Conselho deverá elaborar uma proposta de agenda a ser apresentada na próxima reunião que irá ocorrer no final de janeiro (2018) em data a ser definida.

Ao final da reunião, o ministro Jungmann agradeceu a participação e ressaltou a responsabilidade de todos ao integrarem o Conselho Acadêmico de Defesa, principalmente na criação de uma política nacional voltada para o conhecimento de defesa. “No âmbito da Defesa, o componente científico e tecnológico do conhecimento cada vez mais amplia o seu teor, ou seja, é impossível se pensar defesa nos dias de hoje sem pensar no conhecimento”, concluiu o ministro.

Fazem parte do Conselho: o Ministro da Defesa; o diretor do Instituto Brasileiro de Estudos em Defesa Pandiá Calógeras (IBED); o Secretário de Produtos de Defesa (SEPROD); os comandantes das escolas Superior de Guerra (ESG); de Guerra Naval (EGN); de Comando e Estado-Maior do Exército; de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR); do Instituto Militar de Engenharia (IME); os presidentes da Associação Brasileira de Materiais de Defesa e Segurança (ABIMDE); da Embraer Defesa e Segurança; da Associação Brasileira de Estudos de Defesa (ABED); e os professores Eurico Figueiredo e Jorge Ramalho da Rocha.

Foto: Divulgação Ascom/MD

(MD ASCOM/FM)

Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>