Mulheres da Fumaça: “Provamos que a FAB também é lugar para mulheres”

Com o ingresso das primeiras mulheres nas fileiras da Força Aérea Brasileira (FAB), em 1982, hoje elas são mais de 12 mil nas mais diversas especialidades e funções, distribuídas por todo o território brasileiro. Com uma participação crescente desde então, atualmente elas representam cerca de 25% de todos os postos de trabalho da FAB, exceto o serviço militar obrigatório, admitidas por meio de processo público de seleção.

No Esquadrão de Demonstração Aérea (EDA), conhecido como Esquadrilha da Fumaça, não é diferente. Se, para alguns, o trabalho de mecânico de aeronaves causa surpresa, quando essa vaga é ocupada por mulheres, a admiração revela-se ainda maior, atraindo a atenção do público e até mesmo da imprensa. Hoje, quatro mulheres carregam a responsabilidade de serem Anjos da Guarda.

É o que afirma uma dessas integrantes, a Sargento Patrícia Maria, especialista em Eletrônica e Instrumentos, responsável por cuidar dos sistemas de aviônicos do A-29 Super Tucano. A oficina de manutenção é ocupada hoje por quatro militares, sendo duas mulheres. “Isso mostra que cada vez mais as mulheres estão em ambientes antes dominados por homens e que somos tão competentes e comprometidas quanto eles. A diferença entre os gêneros se torna cada vez mais irrelevante na aérea da manutenção”, afirma a graduada. A sua colega de seção, a Sargento Thelma Hypólito, também nos conta que fazer parte do Esquadrão era um sonho e que, apesar de ser uma área de trabalho dominada pelos homens, sempre buscou se aperfeiçoar e crescer profissionalmente: “Não existe diferença entre homens e mulheres no Esquadrão, depende apenas do esforço individual de cada um buscar seu sonho e conseguir conquistá-lo”.

A primeira mulher ingressou na atividade de manutenção da Esquadrilha da Fumaça em 2015. De lá para cá, todos os processos de seleção para compor a equipe contaram com ao menos uma mulher, dentre as poucas vagas abertas anualmente. O trabalho de Anjo da Guarda, como são chamados os sargentos responsáveis por serviços administrativos e de manutenção, possui responsabilidades que exigem a confiança mútua entre os integrantes, visto que reflete diretamente na rotina do Esquadrão e na segurança do voo.

“O trabalho na Esquadrilha da Fumaça, assim como em toda a FAB, não distingue sexo. Nós trabalhamos de igual pra igual com os homens, somos respeitadas e a cada dia estamos ganhando mais espaço. Tudo isso é muito gratificante, pois mostra às outras mulheres que a questão de ‘sexo frágil’ já caiu por terra, pois somos capazes de exercer tais funções”, conta a Sargento Patrícia Herdy, que ingressou no time em 2020 e é uma das Anjos da Guarda, especialista em Equipamentos de Voo, atividade que garante a saúde e integridade dos pilotos durante os voos e em eventuais emergências críticas.

A equipe de 2020 da Esquadrilha da Fumaça é composta por 35 Anjos da Guarda. Além das atividades de manutenção, elas são representadas na área administrativa também. A Sargento Jaqueline Guerra foi selecionada em 2019 e passou a fazer parte do time no início deste ano, encarregada de toda a logística pessoal e patrimonial. “As mulheres, historicamente, vêm crescendo profissionalmente e conquistando profissões que somente homens ocupavam. Hoje, provamos que a FAB também é lugar para as mulheres”, disse.

O Major Aviador Juliano Nunes, um dos pilotos da Esquadrilha da Fumaça e chefe da Seção de Comunicação Social, explica que, apesar dos meios de comunicação estarem hoje mais acessíveis, é recorrente muitas mulheres desconhecerem essas possibilidades. Segundo ele, no contato diário com o público, nota-se que muitas desconhecem a possibilidade de ingressar na FAB.

“O trabalho das nossas Anjos da Guarda na Esquadrilha da Fumaça, além das suas atribuições, é fundamental para mostrar a essas pessoas que as portas estão abertas e, quem sabe, futuramente isso não seja mais motivo de surpresa”, destacou.

A FAB oferece cursos em suas cinco escolas de formação. A mais recente delas a admitir mulheres, desde 2017, é a Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR), localizada em Barbacena (MG). A FAB divulgou o edital com 220 vagas para ingresso na Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR) e também para os cursos de formação de Oficiais Aviadores, Intendentes e de Infantaria da Academia da Força Aérea (AFA), com inscrições abertas até os dias 18 e 19 de março, respectivamente. Para mais informações e detalhes sobre as formas de inscrição, acesse o portal da FAB.

Fotos: Sargentos Hypólito, Marin, Patrícia e Jaqueline / EDA

(CECOMSAER/FM)

Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>