Nações Unidas solidarizam-se a militares que atuam na Operação Acolhida

Nações Unidas solidarizam-se a militares que atuam na Operação Acolhida

Em solidariedade ao estado de saúde do Comandante da Força-Tarefa Logística Humanitária (FT Log Hum) – Operação Acolhida, General de Divisão Antonio Manoel de Barros, o coordenador do Sistema das Nações Unidas no Brasil, Niky Fabiancic, desejou seu restabelecimento. A manifestação foi dirigida ao Comandante Barros por meio de correspondência. Na carta, também se compadecem com os demais militares diretamente envolvidos na Operação Acolhida que testaram positivo para o novo coronavírus.

esta imagem não possui descrição

O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur) participa da Operação Acolhida integrando o esforço do Governo brasileiro de acolher os imigrantes na fronteira com a Venezuela. Na correspondência, é destacado que as Nações Unidas são “testemunhas do compromisso e da dedicação das Forças Armadas, e particularmente, do Exército Brasileiro para que a resposta à crise humanitária de migrantes e refugiados venezuelanos no Brasil seja eficiente e justa”.

O Exército Brasileiro, por meio do Ministério da Defesa, agradece a preocupação externada pelo Sistema Nações Unidas no Brasil e aproveita para comunicar que o General Barros está bem de saúde. Destaca que qualquer eventual suspeita de exposição de militar ao novo coronavírus ou com quaisquer sinais da doença são prontamente avaliados e, caso a avaliação revele que houve exposição ao vírus, o militar é colocado em isolamento.

A preocupação com a preservação da saúde dos militares assegura que as Forças Armadas possam continuar a cumprir sua missão e seu compromisso com o País, inclusive no combate ao novo coronavírus, missão que já envolve mais de 29 mil homens e mulheres das três Forças por todo o país, por meio da Operação Covid-19, deflagrada em 20 de março.

(MD ASCOM/FM)

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *