Oito cadetes do segmento feminino são formadas no Curso Básico Paraquedista

Oito cadetes do segmento feminino são formadas no Curso Básico Paraquedista

No dia 15 de outubro, mais uma etapa histórica foi concluída na área de estágios do Exército Brasileiro. Entre os 171 militares formados no Curso Básico Pára-quedista 21/2, estavam oito mulheres militares, todas cadetes da Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN). Quatro dessas militares são do Quadro de Material Bélico – Cadete Ana Luiza Santana, Cadete Renata Alves de Lima Capri, Cadete Fabiana Muzzi Leite e Cadete Valquíria Letícia Gomes de Mesquita – e outras quatro militares são do Serviço de Intendência – Cadete Giovana Abraão Santos, Cadete Cíntia Silva Vidigal, Cadete Kimberly Galdino Afonso Ferreira e Cadete Isabella Silva de Oliveira.

Durante o evento de brevetação, emocionada, a Cadete Giovana ressaltou a importância da experiência. “O sentimento é de muito alegria, vibração e entusiasmo. É uma emoção muito grande olhar para trás e pensar que a gente conseguiu! É muito bom!” Na formatura, ainda foram brevetadas as Segundos-Sargentos Pyrrho e Tayana Nativo, colaborando com o legado iniciado em 2006.

O Comandante do Exército Brasileiro, General de Exército Paulo Sérgio, enviou uma mensagem aos formandos destacando as atividades da técnica individual básica paraquedista, as aplicações dos conhecimentos aprendidos em exercícios táticos em operações aeroterrestres e, sobretudo, saudando os concludentes em forma. “Prestes a serem declaradas aspirantes a oficial, a conclusão de tão exigente curso pelas cadetes é, com toda a certeza, um orgulho pessoal e, sobretudo, representa o pleno sucesso do projeto de inserção do segmento feminino na linha de Ensino Militar Bélico”. Por fim, em tom vibrante, o comandante destacou. “Portanto, orgulhem-se! Vocês venceram o desafio!”.

Diversas autoridades prestigiaram o momento, incluindo o Chefe do Departamento de Engenharia e Construção, General de Exército Arruda; o Comandante Militar do Leste, General de Exército José Eduardo; o Chefe do Departamento de Educação e Cultura do Exército, General de Exército Novaes; além do Ministro do Supremo Tribunal Militar, General de Exército Mattos, e demais autoridades.

Centro de Instrução Pára-quedista
O Centro de Instrução Pára-quedista General Penha Brasil (CI Pqdt GPB) já formou mais de 90 mil paraquedistas, que conquistaram a habilitação para saltar de uma aeronave militar por meio do salto semiautomático. Com tratamento isonômico entre todos os alunos, as primeiras mulheres militares paraquedistas se formaram em 2006. As pioneiras da atividade aeroterrestre foram as Segundo-Tenentes Dentistas Paula Raquel Bitencourt e Ivi da Costa dos Santos. Em janeiro do ano seguinte, as Sargentos Lane Carla Alves dos Santos, Kátia dos Santos Rocha e Marília Gomes de Carvalho deram continuidade ao pioneirismo feminino no “Ninho das Águias”.

O boot (coturno) marrom, a boina grená e o brevê de asas de prata caracterizam o militar formado no CI Pqdt GPB, desde a década de 1940. Sem distinção, os voluntários ao Curso Básico Pára-quedista passam pelos mesmos duros e longos treinamentos. Ginástica com toros, flexões de braço e na barra, abdominais, corridas, polichinelos, “cangurus”, além da pista de cordas, são alguns dos obstáculos a serem vencidos no período de seis semanas.

(CECOMSEX/FM)

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *