“Precisamos educar desenvolvedores para pensar na suportabilidade”, diz professor do ITA

“Precisamos educar desenvolvedores para pensar na suportabilidade”, diz professor do ITA

“Os currículos dos cursos de engenharia focam no desenvolvimento do produto. Mas é preciso saber o que fazer depois: 70% a 80% dos valores envolvidos no ciclo de vida de uma aeronave são gastos depois do desenvolvimento”. Foi com essa preocupação que o Coronel Aviador Fernando Abrahão, professor do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), realizou uma palestra, na noite da quarta-feira (18), para os alunos de engenharia da Universidade de Brasília (UnB). A palestra fez parte da 3ª Semana de Engenharia da Produção, que ocorreu até a quinta-feira (19).

O professor destacou o novo laboratório do ITA, AeroLogLab, criado este ano para pesquisar questões logísticas, que, segundo ele, são cada vez mais importantes para a Força Aérea Brasileira (FAB), especialmente neste momento em que a instituição se prepara para a chegada das novas aeronaves nos próximos anos – o caça Gripen NG e a aeronave multimissão KC-390. Segundo ele, o projeto de manutenção oferecido pela empresa sueca Saab foi um dos principais aspectos que se levou em conta para a escolha do novo caça. “O suporte é essencial para a disponibilidade”, disse. Para o Coronel Abrahão, o objetivo de falar aos alunos da UnB, além de apresentar possibilidades de estudo e carreira na FAB, foi destacar a importância da manutenção. “Precisamos educar desenvolvedores para pensar também na suportabilidade”, avalia ele.

Um dos alunos que assistiram à palestra foi Victor Cintra Rego, do último semestre de Engenharia Mecânica. Ele está inscrito na seleção de um mestrado profissional oferecido pelo ITA em parceria com a Embraer e destacou a importância de iniciativas como o AeroLogLab. “A palestra foi muito relevante porque eu pude descobrir esse novo laboratório, que cria interfaces de trabalho entre indústria, academia e governo”, disse.

O professor do curso de Engenharia da Produção da UnB, Annibal Affonso Neto, responsável pela vinda do docente do ITA, conta que a ideia foi mostrar aos alunos expectativas de carreira acadêmica ou profissional na FAB. “A Engenharia da Produção tem foco nos processos produtivos, de transformação, agronegócio e serviços. Não é assim tão nova, mas falta conhecimento sobre a atuação desse profissional”, conclui o professor Annibal.

Fotos: Cabo André Feitosa/CECOMSAER

(CECOMSAER/FM)

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *