Presidentes do Brasil e Guiné-Bissau se reúnem em Brasília

Presidentes do Brasil e Guiné-Bissau se reúnem em Brasília

O Presidente da República, Jair Bolsonaro, recebeu, na terça-feira (24), em visita oficial, o Presidente da Guiné-Bissau, General Umaro Sissoco Embaló. No Palácio do Planalto, os dois mandatários se reuniram e trataram de temas como agricultura, saúde e defesa.

“O seu país é a porta de entrada para a África Ocidental. Já assumi o compromisso com ele de, em uma primeira oportunidade, visitarmos o seu país. Temos laços bastante antigos de amizade e cooperação entre nossos países”, disse o Presidente Jair Bolsonaro em declaração conjunta após a reunião com Umaro Sissoco Embaló.

“Conversamos rapidamente sobre algumas questões como agricultura, saúde e defesa e disse-lhe que estamos prontos para servir. Eu considero um país irmão, nós temos muito a colaborar com a Guiné-Bissau, eles também, no tocante à segurança do Atlântico Sul. Assim sendo, dou boas-vindas ao Presidente General Embaló e dizer que a gente torce, e mais do que isso, vamos colaborar para que ele tenha também, com a participação do Brasil, soluções para o seu país”, afirmou.

O presidente Umaro Sissoco Embaló foi recebido pelo Presidente Jair Bolsonaro com honras militares. Os mandatários ouviram a execução do Hino Nacional dos dois países, houve uma salva de tiros de canhão e eles acompanharam um desfile militar em frente ao Palácio do Planalto. A banda de música do Grupamento de Fuzileiros Navais de Brasília participou da recepção do presidente da Guiné-Bissau.

Após o encontro no Palácio do Planalto, os presidentes fizeram a declaração à imprensa e seguiram para almoço no Itamaraty.

Relações Comerciais

Entre janeiro e julho deste ano, os produtos mais exportados pelo Brasil para a Guiné-Bissau foram açúcares e melaços (21%) e outros produtos comestíveis e preparações (16%). Entre os itens exportados também estão máquinas para indústrias, ferramentas para uso manual e ou em máquinas, carnes de aves e café torrado. O Brasil, por sua vez, importou da Guiné-Bissau frutas e nozes não oleaginosas, frescas ou secas.

Relações diplomáticas

O Brasil abriu sua embaixada na Guiné-Bissau em 1974, mesmo ano da independência nacional do país. De acordo com o Ministério das Relações Exteriores, a relação bilateral é marcada pela cooperação técnica que abrange áreas como saúde, agricultura, educação e formação profissional. Os dois países mantêm cooperação educacional com bissau-guineenses frequentando cursos de graduação e pós-graduação no Brasil.

Assim como o Brasil, a Guiné-Bissau é Estado membro fundador da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP). A comunidade conta com nove estados-membros: Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste.

Intenção de ampliar a parceria entre os países

Em julho deste ano, o ministro das Relações Exteriores, Carlos França, se reuniu com a chanceler de Guiné-Bissau, Suzy Barbosa, ocasião em que debateram o espaço de ampliação da cooperação Sul-Sul e o interesse recíproco de ampliar a parceria em educação, agronegócio e defesa.

(PLANALTO/FM)

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *