Projeto Rondon engaja jovens para trabalho voluntário

Projeto Rondon engaja jovens para trabalho voluntário

O voluntariado caracteriza-se por colocar-se a serviço pelo bem-estar social. É doar tempo, conhecimento, recursos materiais, atenção aqueles que, de alguma forma, precisam de apoio. No dia do Voluntariado o Ministério da Defesa incentiva essa prática por meio Projeto Rondon, parceria entre governo federal e instituições de ensino superior.

MD_NOTICIAS_20200828_NOT02_F01.jpeg

A iniciativa é voltada para universitários, que compartilham seus conhecimentos entre moradores de comunidades menos desenvolvidas do País. Em 15 dias de missão, eles têm a oportunidade de conviver com realidades diferentes, contribuir com o desenvolvimento local e viver uma experiência longe dos bancos acadêmicos. Os estudantes recebem orientação de seus professores para ministrarem oficinas relacionadas às suas áreas de atuação. O foco das ações são lideranças comunitárias ou demais agentes multiplicadores, que podem repassar os conhecimentos adquiridos entre os integrantes da comunidade atendida.

O Coordenador de Operações do Projeto, Coronel Marcelo Soares, relata que um dos pilares do Rondon “é levar o universitário para conhecer aspectos da realidade brasileira, fomentar o desenvolvimento sustentável, levar capacitação com oficinas nas quais eles exercitam seu aprendizado acadêmico”, explica ele.

MD_NOTICIAS_20200828_NOT02_F02.jpeg

O coordenador ressalta que as características de um voluntário do projeto envolvem capacidade de adaptação, no sentido de estar disposto a passar por situações diferentes de sua rotina e abrir mão de conforto. “Um outro aspecto é a solidariedade, porque cada componente do grupo precisará saber ceder para que haja harmonia. Qualquer um que esteja disposto a se abrir a conhecer novas realidades é transformado por elas”, assegura.

A dentista Alynne Macêdo foi rondonista em 2013, na Operação São Francisco. Na época, era estudante da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), da Paraíba. Sua equipe atuou no município de Neópolis, em Sergipe. Ela conta que participar do Rondon foi a experiência mais gratificante vivenciada durante sua graduação.

“Ganhei muito mais do que preparei para levar. Presenciei quem não tem quase nada querendo dividir. Nós, alunos, achávamos que levávamos conhecimento, mas também aprendemos com aquelas pessoas”, relatou. A ex-estudante afirma que foi uma oportunidade única e transformadora. “Até hoje reflete em minha vida profissional, pois olho com humildade cada paciente que atendo”, garante.

As missões do Projeto Rondon ocorrem duas vezes por ano, no período das férias escolares. Em janeiro deste ano, houve a Operação Yaguaru, que beneficiou 12 municípios paranaenses. Devido à pandemia, a programação para o mês de julho foi cancelada. Porém, a equipe do Ministério da Defesa, que coordena as atividades da iniciativa, segue o trabalho de relacionamento com Instituições de Ensino Superior e municípios.

Por Mariana Alvarenga
Fotos: Tereza Sobreira

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *