Projeto Viagem de Formadores de Opinião inicia atividade no Centro-Oeste do país

Projeto Viagem de Formadores de Opinião inicia atividade no Centro-Oeste do país

Brasília, 20/09/2016 – Uma equipe formada por 30 alunos, professores e jornalistas de Mato Grosso do Sul iniciou na segunda-feira (19), visitas as organizações militares. A programação inclui assistir palestras com autoridades e acompanhar o dia a dia de integrantes do Exército. Eles participam do Projeto Viagem de Formadores de Opinião, uma iniciativa que proporciona aos estudantes de Comunicação Social a oportunidade de conhecer o trabalho e os estudos promovidos em benefício do desenvolvimento das localidades em que atua a Força Terrestre.

Alunos e professores integrantes do “Formadores de Opinião” receberam orientações práticas durante viagem a Amazônia
Alunos e professores integrantes do “Formadores de Opinião” receberam orientações práticas durante viagem a Amazônia

O projeto chega à sua terceira edição de 2016 e, pela primeira vez, acontece na região Centro-Oeste. A função dos participantes será observar as ações desenvolvidas pelo Exército com propósito de elaborarem matérias que serão divulgadas em suas instituições de ensino e na imprensa.

Criado em 2007, o projeto já atraiu cerca de 900 alunos e professores universitários de todo o Brasil. Inicialmente a viagem destinava-se à Amazônia, numa programação de cinco dias, com o apoio de aeronaves da Força Aérea no transporte da comitiva ao longo dos trechos visitados.

O aluno de jornalismo da Universidade de Brasília (UnB), Thomas Jefferson Gonçalves, conheceu um pouco da realidade da Amazônia por meio de viagem realizada em 2014. “A programação foi muito intensa. Ao longo dos dias, tivemos palestra, apresentações e passeios durante todo o dia. Também fomos muito bem recebidos. Uma banda marcial tocou para gente durante nossa recepção”, relatou o universitário.

Para o coronel Paulo Ricardo Lemos do Centro de Comunicação Social do Exército (CCOMSEx), a iniciativa é uma importante ferramenta para reforçar a integração entre as Forças Armadas e a sociedade civil. “A atividade permite aos futuros formadores de opinião conhecer e divulgar as várias frentes de atuação do Exército, além de aproximar a sociedade civil e o meio militar”, explicou.

Programação do projeto geralmente conta com o apoio de aeronaves da Força Aérea no transporte da comitiva
Programação do projeto geralmente conta com o apoio de aeronaves da Força Aérea no transporte da comitiva

Viagem Mato Grosso do Sul

A abertura das atividades começou ontem (19), em Campo Grande (MS), onde o grupo visitou o Comando Militar do Oeste, o 3º Batalhão de Aviação e a Companhia de Polícia do Exército.

O roteiro inclui ainda a ida ao 17º Batalhão e 18ª Brigada de Infantaria de Fronteira, 6º Distrito Naval, em Ladário (MS) e a 3ª Companhia de Fronteira e Forte de Coimbra, fortaleza no Pantanal situada à margem do rio Paraguai, em Corumbá (MS). A fortificação militar possui importância histórica com a participação em conflito bélico, em 1864, durante a Guerra do Paraguai.

Até a próxima sexta-feira (23) integrantes da Faculdade Estácio de Sá, Universidade Anhanguera-Uniderp e da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, em Campo Grande (MS), irão percorrer o trajeto por via terrestre no estado.

Edições anteriores

A ida a Mato Grosso do Sul é a terceira edição deste ano. Na última atividade do Projeto Viagem de Formadores de Opinião, que ocorreu em maio, uma equipe de professores e alunos do curso de Comunicação Social e Design de instituições de ensino superior de Brasília vivenciou o dia a dia do trabalho dos militares, no estado do Amazonas. Participaram a Universidade Católica de Brasília, o Centro Universitário de Brasília, o Instituto de Educação Superior de Brasília (IESB) e a Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação (FAAC/Unesp), de Bauru (SP).

Roteiro da viagem a Amazônia incluiu visita ao Centro de Instrução de Guerra na Selva e a aldeia indígena Tupé
Roteiro da viagem a Amazônia incluiu visita ao Centro de Instrução de Guerra na Selva e a aldeia indígena Tupé

O transporte até Manaus ocorreu com o apoio da Força Aérea. No estado, eles assistiram palestra no Comando Militar da Amazônia, tiveram orientações práticas sobre obtenção de fogo e de alimentos vegetais, na Base de Instrução Jaguatirica, situada em área de selva; visitaram o Centro de Instrução de Guerra na Selva, instituição de excelência do Exército que treina militares de elite;  a aldeia indígena Tupé  e ainda receberam ensinamentos sobre navegação fluvial a bordo de pequenos barcos da região, chamados “voadeiras”.

A oportunidade de conhecer a riqueza da região amazônica foi um dos diferenciais do projeto, destacou a diretora técnica da FAAC/ Unesp, Angélica Aparecida Parreira Lemos Ruiz. “Eu não teria a chance de conhecer a Amazônia brasileira se não fosse por esse convite. Hoje tenho uma imagem positiva, diferente, e que realmente mostra o importante papel do Exército Brasileiro para a sociedade e para as nossas riquezas naturais, minerais”, ressaltou.

Para Alan Ferreira dos Anjos de Matos, a viagem a Manaus superou as expectativas. “Vir para cá e viver o trabalho árduo das Forças Armadas e, principalmente do Exército, que é significativo para essa região, não tem preço. Realmente é um trabalho muito mais importante do que eu imaginava”, disse o estudante de jornalismo do IESB.

Desde 2007, o Projeto Viagem de Formadores de Opinião já atraiu cerca de 900 alunos e professores universitários de todo o Brasil
Desde 2007, o Projeto Viagem de Formadores de Opinião já atraiu cerca de 900 alunos e professores universitários de todo o Brasil

A primeira viagem de 2016 aconteceu em março, estudantes e professores da UNESP, campus Bauru (SP), percorreram as principais escolas de formação do Exército localizadas no eixo Rio-São Paulo. A equipe conheceu a Escola Preparatória de Cadetes do Exército (EsPCEx), onde se inicia  a formação de oficiais combatentes,  em Campinas (SP); a Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN), local no qual os combatentes concluem a formação,  em Resende (RJ) e o Instituto Militar de Engenharia (IME), estabelecimento responsável pelo ensino superior de engenharia e pesquisa básica, situado no Rio de Janeiro (RJ).

Fotos: Exército Brasileiro

(MD ASCOM/ FM)

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *