Regimento Deodoro, em Itu (SP), recebe visita do ministro da Defesa

Regimento Deodoro, em Itu (SP), recebe visita do ministro da Defesa

Itu (SP), 03/02/2016 – Fotografias, pinturas e itens de decoração. Objetos espalhados por corredores e salas contam a história deste quartel que, por apelo do povo ituense, recebeu o histórico nome de Regimento Deodoro. Aliás, a ligação da comunidade local com a instituição é uma das marcas desta unidade militar. O ministro da Defesa, Aldo Rebelo, esteve no local na manhã da quarta-feira (3).

REGIMENTO 1

O prédio abriga o 2º Grupo de Artilharia de Campanha Leve. Para o ministro, o Regimento Deodoro é um patrimônio não apenas militar, mas uma instituição com serviços prestados ao Brasil: “Participou do esforço, não só do País, mas da humanidade durante a Segunda Guerra Mundial. Foi uma das unidades mobilizadas para aquela luta”.

A visita foi guiada pelo atual comandante do Regimento, tenente-coronel Erb, que relatou detalhes de sua história, arquitetura e missões. Para ele, o que mais se destaca é a proximidade com a população local. “O quartel é muito querido. As pessoas o consideram como parte da cidade. Trabalhamos juntos, com os mesmos ideais” explicou ele.

O Grupo participa ativamente de missões dentro e fora do País. Em 2012, enviou militares para participar da Força de Pacificação do Exército que atuou no Rio de Janeiro e também tem contribuído, com frequência, com militares para a missão de paz que ocorre no Haiti, sob coordenação da Organização das Nações Unidas (ONU).

O general Francisco Roberto de Albuquerque, que comandou a unidade de 1984 a 1986 e também recepcionou o ministro Aldo, conta que esta missão marcou muito a sua vida. “Você cuida do quartel durante 24 horas ao longo de dois anos. Essa é a maior lembrança que eu tenho: o cuidado com ele durante todo esse período”, destacou o general.

Histórico

REGIMENTO 2Esta tradicional unidade militar do Exército Brasileiro, situada em Itu, São Paulo, está subordinada à 11ª Brigada de Infantaria Leve. Suas origens estão no Corpo de Artilharia da Bahia, criado em 1625, durante a União Ibérica (Portugal-Espanha). Passou por sucessivas denominações e transformações ao longo de quase três séculos e foi prevista para se instalar em Itu por decreto de fevereiro de 1915. Sua denominação era 7º Regimento de Artilharia Montada (7º RAM) e seu aquartelamento passou a ser o antigo e tradicional Colégio São Luiz, edifício construído em 1867 pelos jesuítas.

Desde o início, tem contado com o apoio da população local. Quando o Pavilhão Nacional foi hasteado pela primeira vez na fachada do quartel, em 20 de janeiro de 1918, a comunidade esteve em peso para conferir e, 30 anos mais tarde, foi atendendo a uma solicitação do povo ituense que recebeu a denominação histórica de Regimento Deodoro, em homenagem ao marechal Manuel Deodoro da Fonseca, proclamador da República.

Desde março de 2005, após uma reestruturação da Força Terrestre, o Regimento Deodoro foi renomeado como 2º Grupo de Artilharia de Campanha Leve. Seu material passou a ser o moderno e versátil obuseiro Otto Melara, de 105 mm.

Nelson Werneck Sodré

No início da tarde, o ministro Aldo Rebelo e o prefeito de Itu, Antônio Tuíze, estiveram no cemitério da cidade, onde depositaram flores no túmulo do general Nelson Werneck Sodré. “A visita é uma forma de reconhecer e valorizar a sua obra como historiador e como intelectual. Ele foi um militar patriota, defensor do Brasil”, afirmou Aldo.

REGIMENTO 3

Fotos: Gilberto Alves/MD

(MD ASCOM/ FM)

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *