Rio 2016: Ministro Jungmann diz que governo manterá investimentos nos atletas militares

Rio 2016: Ministro Jungmann diz que governo manterá investimentos nos atletas militares

Rio de Janeiro, 07/08/2016 – O governo federal deve manter o mesmo volume financeiro de 2016 no Programa de Atletas de Alto Rendimento (PAAR) do Ministério da Defesa no próximo ano. A informação foi dada pelo ministro Raul Jungmann durante coletiva à imprensa por ocasião da inauguração do Clube CISM – espaço localizado no Campo dos Afonsos para abrigar representantes do Conselho Internacional de Esporte Militar. Com isso, em 2017, os atletas militares poderão contar com cerca de R$ 18 milhões.

Rio 2016 Ministro Jungmann 1

“Esse programa é muito importante. Estamos negociando com o Ministério do Planejamento para que pelo menos sejam destinados os recursos de 2016”, explicou Jungmann.

O ministro afirmou também que a Defesa reforçará a parceria com o Ministério do Esporte para os incentivos aos atletas militares. Jungmann também destacou a importância de um outro programa da Defesa, o Forças no Esporte que atende cerca de 21 mil crianças e adolescentes.

Continência

Na entrevista, Jungmann comentou também o fato dos atletas prestarem continência, como o ocorrido com Felipe Wu, no sábado (06), na cerimônia de premiação em que o militar recebeu medalha de prata. Segundo o ministro, o atleta faz o gesto “por questão de hierarquia” e em respeito “à bandeira Nacional”. “Um gesto de respeito e amor ao Brasil. É apenas o estilo dos valores que fazem parte dos nossos militares das Forças Armadas”, contou.

Rio 2016 Ministro Jungmann 2

Jungmann explicou que o Programa Atletas de Alto Rendimento teve início em 2008, quando as Forças Armadas miravam na realização dos 5º Jogos mundiais Militares (JMM), no Rio de Janeiro. Os resultados foram excelentes, o que garantiu ao Brasil a liderança entre os países no ranking de medalhas. Assim, o programa seguiu tendo em vista as Olimpíadas em Londres e no Rio, além dos 6º Jogos Mundiais Militares, em 2015, na República da Coreia.

Em tom otimista, o ministro lembrou que, em 2012, o Brasil voltou de Londres com 17 medalhas, sendo cinco delas por atletas militares. Em 2016, “estamos com 145 atletas do total de 465 do Time Brasil, e sonhamos com o dobro de medalhas. A primeira delas foi conquistada ontem pelo Felipe Wu”, ressaltou.

Na condição de anfitrião, o Departamento de Desporto Militar (DDM), braço do Ministério da Defesa, montou em Afonsos uma estrutura para atender os representantes dos demais países-sócios do CISM. Deste modo, o ministro Jungmann e os comandantes das Forças Armadas, almirante Eduardo Bacellar Leal Ferreira (Marinha), general Eduardo Dias da Costa Villas Bôas (Exército) e brigadeiro Nivaldo Luiz Rossato (Aeronáutica), participaram de cerimônia de abertura do chamado Clube CISM.

Após a entrevista, ocorreu um evento no auditório da ECEMAR (Escola de Comando do Estado-Maior da Aeronáutica). Lá, Jungmann e os comandantes das Forças, além do chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA), almirante Ademir Sobrinho; o secretário geral do MD, general Joaquim Silva e Luna; a chefe de Parcerias Esportivas e Coordenação de Esporte do Comitê Olímpico Internacional (COI), Jennifer Mann, representando o presidente do COI, Thomas Bach, participaram do recebimento de medalhas.

O ministro Jungmann foi agraciado com a medalha da Ordem do Mérito do CISM Grau Comandante. Os comandantes das Forças, do EMCFA, o secretário geral receberam a medalha no Grau Grande Oficial. Já o brigadeiro Ricardo Machado Vieira, o almirante Fernando Antonio de Siqueira Ribeiro e o general João Camilo Pires de Campo no Grau Oficial. O presidente do CISM, coronel Abdulhakeen Alshino, o secretário geral da entidade, coronel Dorah Mamby Koita e o chefe executivo do escritório do CISM, Oliver Verhelle, receberam a Medalha do Mérito Desportivo Militar, honraria do Ministério da Defesa.

Após as apresentações, foi lançado o livro “Santos-Dumont, aviador esportista: o primeiro herói olímpico do Brasil”, dos professores Lamartine Da Costa e Ana Miragaya.

Rio 2016 Ministro Jungmann 3

Em discurso, o ministro Jungmann lembrou que o CISM, criado em 1948, em Nice, na França, surgiu após o fim da II Guerra Mundial, marcada por milhares de mortes. Ele lembrou que, recentemente, na mesma cidade francesa, ocorreu um atentando terrorista, e buscou fazer um elo com a entidade que congrega o desporto militar mundial, cuja bandeira é a paz.

Em seguida, o ministro e comitiva assistiram a apresentação da Banda dos Fuzileiros Navais. O término da visita foi marcado com a apresentação de atletas militares da Marinha, do Exército e da Aeronáutica.

Foto: Felipe Barra

(MD ASCOM/ FM)

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *