Seminário de defesa química e nuclear define ações para os jogos de 2016

Seminário de defesa química e nuclear define ações para os jogos de 2016

Brasília, 13/11/2015 – O seminário “As Forças Armadas, a Sociedade e a Defesa Química Biológica, Radiológica e Nuclear nos Grandes Eventos” teve o objetivo de planejar, entre as diferentes agências envolvidas e Forças Armadas (FFAA), o papel de cada uma delas para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos de 2016. Com o apoio do Ministério da Defesa (MD), o evento, realizado nessa semana, contou com cerca de 60 participantes no Centro de Capacitação Física do Exército (CCFEX) – RJ.

SEMINARIO MD

Serão em torno de 1.200 militares das FFAA e representantes da Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN) e quase 400 pessoas da defesa civil do RJ atuando na área de Defesa Química Biológica, Radiológica e Nuclear (DQBRN).

Os militares, por exemplo, deverão atuar em transportes logísticos, condução de feridos por aeronave (evacuação aeromédica) e controle de acesso para que não aconteça a entrada de nenhum tipo de artefato explosivo ou agentes químicos nos locais dos jogos.

A coordenação interagências entre as FFAA, a Autoridade Pública Olímpica (APO), o Ministério da Saúde, a CNEN e a Defesa Civil do RJ debateu diversos temas, dentre eles os protocolos que definem os procedimentos de ações conjuntas para 2016.

Na ocasião, foram apresentados os planejamentos e as capacidades e áreas de atuação de cada Agência envolvida. O objetivo é contribuir, de forma eficiente e conjunta, na área de DQBRN.

SEMINARIO MD 2

De acordo com o assessor de DQBRN do MD, coronel Chamon Malizia De Lamare, as apresentações foram oportunas para esclarecer a função de cada um dos envolvidos. “O seminário nos leva a concluir que os trabalhos de preparação estão bastante adequados e teremos as respostas que esperamos. Conseguimos definir a capacidade de cada um dos envolvidos. Isso permite que as instituições operem de forma mais efetiva”, afirmou De Lamare.

A CNE, por exemplo, deverá contribuir com equipamentos e pessoal ajudando a apoiar as FFAA nestas varreduras e em trabalhos de reconhecimento. A Marinha e o Exército apresentaram suas experiências em eventos anteriores e, mais recentemente, na Copa do Mundo de 2014. A Força Aérea participa com aeronaves para realizar transportes.

O seminário foi organizado pelo Estado-Maior do Exército.

Foto: Felipe Barra

(MD ASCOM/ FM)

 

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *