Sistema de Engenharia do Exército contribui para o incremento das malhas rodoviária e ferroviária do país

No dia 19 de junho, no Departamento de Engenharia e Construção (DEC), o General de Exército Claudio Coscia Moura, Chefe do DEC; o General de Divisão Antonio César Alves Rocha, Vice-Chefe do DEC; o General de Divisão Paulo Roberto Viana Rabelo, Diretor de Obras de Cooperação; e o General de Brigada Paulo Alípio Branco Valença, Diretor de Patrimônio Imobiliário e Meio Ambiente, receberam a visita do Senhor Tarcísio Gomes de Freitas, Ministro da Infraestrutura (MI), e do General de Brigada Antônio Leite dos Santos Filho, Diretor-Geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT).

Na oportunidade, foram tratados assuntos sobre a celebração do Termo de Execução Descentralizada (TED), entre o Sistema de Engenharia do Exército Brasileiro (SEEx) e a VALEC Engenharia, Construções e Ferrovias S. A., para a construção do Lote 6 da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (FIOL), bem como sobre a possibilidade de celebração de um novo Plano de Trabalho (P Trab) com o DNIT, visando a participação do Exército Brasileiro nas obras da implantação rodoviária da BR-156/AP, no trecho sul, num lote de aproximadamente 64 quilômetros.

O SEEx planeja participar da construção de um trecho localizado no Lote 6 da ferrovia, empregando o 4° Batalhão de Engenharia de Construção (4° BEC), com sede em Barreiras (BA), e o 2° Batalhão Ferroviário (2° B Fv), sediado em Araguari (MG). Já na obra da BR-156/AP,  planeja empregar o 8º Batalhão de Engenharia de Construção (8º BEC), sediado em Santarém (PA). Além disso, o DEC e o Departamento de Ciência e Tecnologia (DCT) estudam a participação do Instituto Militar de Engenharia (IME) na obra da FIOL, no assessoramento da execução da superestrutura ferroviária, na definição de equipamentos, no controle tecnológico e em outros assuntos de caráter técnico.

A FIOL possui aproximadamente 1.527 km de extensão e ligará o futuro porto de Ilhéus, no litoral baiano, a Figueirópolis, no Tocantins, local em que se conectará com a Ferrovia Norte-Sul. Essa ferrovia reduzirá significativamente os custos logísticos de transporte e será uma importante via de escoamento da produção de grãos, álcool e minérios destinados ao mercado externo, contribuindo fortemente com o agronegócio do País.

Já a obra da implantação rodoviária da BR-156/AP, no trecho sul, possui cerca de 240 quilômetros de extensão e o término dos trabalhos permitirá o desenvolvimento socioeconômico regional e a ligação da capital, Macapá (AP), à cidade de Laranjal de Jari (AP), terceira cidade do estado em número de habitantes.

(CCOMSEX/FM)

Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>